CAPA

Chega de reserva de informações!

Revista UFO | Edição 98 | 01 de Abril de 2004

SHARE

MUNDO UFOLÓGICO

Fatos da Ufologia Brasileira e Mundial

por Equipe UFO

Novidade nos confins do Sistema Solar

O que já se imaginava há vários anos está confirmado: astrônomos finalmente localizaram o décimo planeta do Sistema Solar, que recebeu o nome de Sedna, em homenagem a uma deusa grega. A notícia partiu de membros do Instituto de Tecnologia da Califórnia (CalTech), que afirmaram ter detectado o que pode ser um corpo planetóide além da órbita de Plutão. A descoberta ocorreu com auxílio do telescópio espacial Spitzer, lançado recentemente. Observações indicam que o Sedna pode ter um diâmetro de 2.000 km, mas ele pode ser maior que Plutão, que tem um diâmetro de 2.250 km.

Estudiosos estimam que o anúncio deve estimular um debate para se determinar se Sedna pode ser realmente classificado como um planeta, o que não está certo ainda. Alguns astrônomos já afirmam que a descoberta redefiniria o Sistema Solar, até então com nove planetas. Um grupo de estudiosos, por sua vez, acredita que Plutão é que não seria um planeta de verdade, mas apenas um dos maiores dentro do grande número de corpos celestes pequenos na parte externa do Sistema Solar. O Sedna também foi identificado pelo telescópio espacial Hubble e confirmado durante uma pesquisa liderada por Michael Brown, do CalTech. Cálculos preliminares sugerem que o planeta está a 10 bilhões de quilômetros da Terra, em uma região do espaço conhecida como Cinturão de Kuiper, que contém centenas de objetos já conhecidos.

Os astrônomos acreditam que há muitos mais para serem descobertos. A maioria dos corpos celestes daquela região do espaço são pequenos mundos de rocha e gelo, mas alguns, como Sedna, podem ser maiores do que Plutão. A importância da nova descoberta é que se trata do primeiro corpo celeste desse tipo encontrado em sua órbita normal. Outros, como Quaoar e Varuna, são semelhantes, mas menores – e embora sejam originários do Cinturão de Kuiper, foram impulsionados a diferentes órbitas.

Os ufólogos estão tão entusiasmados com a descoberta quanto os astrônomos. Mas por razões diferentes. Para os estudiosos do Fenômeno UFO, a descoberta de um novo corpo no Sistema Solar, feita somente agora, é uma prova cabal de que muito pouco se conhece sobre nosso “quintal” no universo. A descoberta, portanto, terá o condão de mostrar aos cientistas – em especial aos astrônomos – que, se tão pouco sabemos, é no mínimo uma leviandade falar na impossibilidade da existência de discos voadores provenientes de outras civilizações.

Objeto não identificado no caminho de Marte

Foi anunciado em Londres que o robô Beagle 2, construído pelos britânicos parachegar à superfície marciana,e perdido logo depois de se separar da nave-mãe Mars Express, encontrou um objeto não identificado imediatamente após ser ejetado para iniciar a descida no planeta. O Beagle 2 deveria chegar a Marte em 25 de dezembro de 2003, mas nunca mais fez contato com a Terra após a ejeção para descida. Várias fotos do robô e imagens do local de um possível acidente foram feitos enquanto cientistas procuravam restabelecer contato. O dado mais curioso é que a sonda que se perdeu é justamente a única equipada com instrumentos para detecção de vida biológica em seu pacote científico de exploração de Marte.

Hipóteses sugerem que uma tempestade marciana causou a rarefação da atmosfera, que, menos densa do que o esperado, resultou em leituras erradas de altitude por parte dos instrumentos doBeagle 2. Isso teria feito o robô entrar na atmosfera marciana em alta velocidade, sendo seu pára-quedas insuficiente para reduzi-la. Técnicos da missão Mars Express também estão revendo imagens que mostram o que podem ser os restos do robô supostamente acidentado na superfície de Marte. A imagem de um objeto não identificado perto do Beagle 2 é o fato mais misterioso que os cientistas encontraram. A sonda foi desenhada para determinar se houve vida no passado do planeta Marte – diferentemente dos robôs da NASA,Spirit e Opportunity, projetados para procurar água. O Mars Global Surveyor, agora em órbita ao redor de Marte, está sendo reprogramado para obter imagens do local onde se suspeita ter havido a queda do Beagle 2, para determinar se existem restos da sonda acidentada.

UFO durante um cruzeiro de luxo no Caribe

Circulou a informação de que os passageiros e tripulantes de um navio de luxo em cruzeiro pelo Caribe tiveram contato com um objeto voador não identificado. Em Cozumel, no México, um grupo de observadores que estava no The Navigator of the Seas [Navegante dos Mares] declarou à imprensa que um UFO surgiu sobre o mar. As testemunhas pensaram se tratar de um avião, mas depois, vendo mais de perto, excluíram a possibilidade. Um dos passageiros, que celebrava seu aniversário junto de amigos, disse que viu o fenômeno às 03h50 de 14 de fevereiro. “Vimos três luzes brancas que não se moviam e estavam posicionadas em linha, num ângulo em diagonal com o do navio. Pensamos que eram aviões, mas não tinham luzes de aviação, nem sons característicos”.

As testemunhas alertaram a tripulação, que afirmou serem os objetos luzes de alguma ilha nas redondezas, mas depois se confirmou que não havia qualquer sinal de terra por perto. No dia anterior, rumores de avistamentos de UFOs em Cozumel circularam pelos pontos freqüentados por turistas naquela região mexicana. Três casos foram registrados pela Guarda Costeira: um primeiro objeto surgiu mais baixo, com luzes coloridas, e então desapareceu rumo ao alto-mar. No segundo caso, um artefato voador não identificado ainda mais baixo foi visto por turistas, sem emitir som ou deixar rastro. Finalmente, um terceiro objeto foi observado do mesmo modo, assustando visitantes ao local.

Fim dos dinossauros traz revolução científica

O anúncio, feito em Washington, de que pesquisadores norte-americanos passaram a rejeitar a teoria que atribui o desaparecimento dos dinossauros à queda de um gigantesco asteróide na região onde hoje é o México, pode ter sérias conseqüências científicas. Até então, era tido como certo que os dinossauros e muitas outras espécies desapareceram da Terra há 65 milhões de anos. Segundo a teoria dominante, a queda de um asteróide em Yucatán, no sudeste do país, teria lançado partículas de pó na atmosfera, deixando o planeta na escuridão e dando início a uma reação em cadeia até a extinção dos dinossauros. O local de impacto seria a cratera de Chicxulub.

Mas, recentes exames geológicos feitos na cratera mostram que o asteróide teria caído muito antes do período de transição entre o fim da era secundária (cretáceo) e o início da era terciária – época de desaparecimento destes gigantescos animais. Pesquisadores liderados por Gerta Keller, da Universidade de Princeton, acham que uma seqüência de acontecimentos mais complexa – que incluiria asteróides, atividades vulcânicas, aquecimento climático e ainda a combinação de vários fatores – poderiam explicar o desaparecimento dos dinossauros, mas não apenas a queda do meteorito em si. Essa pode ser uma grande revolução nos conceitos científicos atuais, nos quais se baseiam as teses sobre a origem da humanidade. Se Keller e seus colegas provarem que realmente os dinossauros tiveram outro destino, muita coisa mais terá que ser reconsiderada pela ciência.

crédito: national geographic magazine
A Cratera de Chicxulub, em Yucatán, México, pode não ser mais a prova cabal de que um asteróide dizimou os dinossauros
A Cratera de Chicxulub, em Yucatán, México, pode não ser mais a prova cabal de que um asteróide dizimou os dinossauros

UFOs durante protestos na Venezuela

O país mais conturbado politicamente da América do Sul é justamente um dos que apresenta elevado índice de atividade ufológica, a Venezuela. Enquanto o futuro político do país é debatido com brigas nas ruas, entre os adversários e partidários do governo do polêmico Hugo Chavéz, um fenômeno estranho tem se manifestado no espaço aéreo venezuelano. “Tem sido avistados UFOs constantemente, desde outubro de 2003, durante a insurreição da população. Isso aconteceu até o mês de março passado, quando foram tiradas novas fotografias de objetos voadores não identificados sobre Caracas, a capital”, escreveu o ufólogo venezuelano Héctor Arturo Escalante.

O estudioso informa que inúmeros avistamentos já foram registrados desde o início dos conflitos, resultando em bons casos para a Ufologia local. O mais importante foi o de um UFO visto e fotografado em 23 de janeiro passado, em pleno centro de Caracas, pelo jornalista argentino Tomás Latino. Uma análise das imagens foi feita pela Corporación de Investigación de Fenómenos Aereos (CIFEA), dirigida por Escalante.”Há alguns meses, uma nova foto de um UFO foi tirada durante um concorrido protesto na capital. Era um objeto oval alongado e escuro estacionado a oeste de Caracas”, disse o estudioso. Os exames da imagem podem ser conferidos no site: www.ovniaventura.com/ovenez2.htm.

Na ocasião em que se deu o avistamento, a situação política do país estava piorando. Nesta nova imagem, o artefato voador não identificado parece pairar sobre a região central da cidade, ao mesmo tempo em que uma multidão de partidários simpatizantes do governo Chavéz se encontrava no bairro de La Rinconada, homenageando-o. Outros avistamentos se deram precisamente nos mesmos locais, em 28 de novembro de 2003 e 04 de fevereiro passado, como se os UFOs visassem aquela região. “Deram a impressão de que se colocaram de forma estratégica no local para levar a cabo uma monitoração das atividades políticas venezuelanas”. Muitas dos milhões de pessoas que protestam contra o que chamam de Ditadura Chavéz, estão apenas aguardando a hora em que o controverso presidente vá alegar que os UFOs estão lá para garantir seu governo. Sim, porque todos os outros mais mirabolantes argumentos para não apear do poder, ele já usou.


Grande Ofertas Exclusivas da Revista UFO