CAPA

A Revista UFO completa 15 anos de idade

Revista UFO | Edição 70 | 01 de Março de 2000

SHARE

MUNDO UFOLÓGICO

Fatos da Ufologia Brasileira e Mundial

Deputado Alagoano quer Oficializar Relatos de UFOs no Brasil

A Comunidade Ufológica Brasileira foi tomada de surpresa no mês de janeiro passado pela proposição do deputado João Caldas, de Alagoas, em transformar as ocorrências ufológicas em assunto oficial do governo brasileiro e, em especial, do Congresso Nacional. Através do Projeto de Lei número 2.324, datado de 19 de janeiro, Caldas propõe que seja obrigatória, doravante, a comunicação à Comissão de Ciência e Tecnologia da Câmara dos Deputados qualquer informação sobre objetos voadores não identificados em Território Nacional. “As informações mencionadas devem ser encaminhadas à referida comissão, ainda que em caráter sigiloso, que fará a devida divulgação”, diz o texto do projeto.

Tal iniciativa, completamente inédita no Brasil, pode representar ao mesmo tempo um monumental avanço ou um gigantesco atraso na Ufologia Brasileira. Ao ‘oficializar’ a questão e tornar público o interesse governamental em obter informações sobre UFOs, Caldas proporciona maior desenvolvimento à questão, que passaria a ser vista com mais seriedade por segmentos da sociedade – em especial os meios acadêmicos – que sempre se recusaram sequer a considerar as evidências de que o Fenômeno UFO seja real.

Por outro lado, a tentativa do deputado em fazer com que tais informações sejam comunicadas “em caráter sigiloso” representa um retrocesso no esforço dos ufólogos brasileiros em expor à sociedade o que está por trás e como funciona a casuística ufológica. “Não podemos conceber que os deputados aprovem uma lei que estabeleça sigilo sobre o assunto”, disse o ufólogo e co-editor de UFO Reginaldo de Athayde.

Várias Penalidades –
Adiante, no corpo do Projeto de Lei, Caldas especifica que, no caso das informações virem a ser obtidas por aviadores, e estes deixarem de comunicá-las à referida comissão, os mesmos estariam sujeitos a várias penalidades. “Se civil, o aviador perderá sua licença. Se militar, responderá a processo por recusa de obediência”. Como se vê, se aprovado e virar lei, tal iniciativa do deputado alagoano poderá trazer muitos dissabores a centenas de pilotos civis e militares que, o tempo todo, têm tido contatos com objetos não identificados no espaço aéreo brasileiro. A lei teria, por exemplo, que caçar o brevê do comandante Marcos Bantel, da Varig, se o mesmo resolvesse não comunicar à Comissão de Ciência e Tecnologia da Câmara dos Deputados, sigilosamente, ter visto um UFO nos céus do Tocantins no ano passado. Mas a intenção de Caldas é das melhores, tanto que, após redigir seu projeto, protocolou na Câmara dos Deputados um pedido de requerimento de informações ao ministro de Defesa visando obter dados e arquivos em poder das Forças Armadas Brasileiras sobre ocorrências de discos voadores no Brasil.

Ufólogos e parlamentares já estão se mobilizando para que a lei venha a ser aprovada, mas com roupagem um pouco modificada. O deputado paraibano Domiciano Cabral é um dos que querem alterar o projeto. Através de sua assessoria, fez contato com o Centro Brasileiro de Pesquisas de Discos Voadores (CBPDV) para sugerir que a entidade fosse incluída numa curtíssima lista de destinatários a quem as informações ufológicas, coletadas livremente, pudessem ser repassadas e, destas, para toda a sociedade.

Ao longo dos próximos meses, o Projeto de Lei de Caldas receberá as emendas necessárias – especialmente as de Cabral – e será posto em votação. Se passar, poderemos vir a desfrutar de uma Ufologia, em nosso país, como não há em lugar algum do mundo. Se não, ficaremos do mesmo tamanho, mas com uma diferença: o assunto terá atraído a atenção de autoridades e deputados que, antes, sequer imaginavam que o assunto fosse sério.

Vaticano Admite Contato com ETs

O monsenhor Corrado Balducci, teólogo do Vaticano íntimo do papa, entrou em rede nacional de televisão pelo menos cinco vezes nos últimos três meses para proclamar que os contatos com seres extraterrestres são um fenômeno real e têm acontecido regularmente. O prelado, que foi entrevistado pela Revista UFO [Veja edição 67] anunciou que o Vaticano está recebendo muitas informações sobre alienígenas e seus contatos com humanos, vindas de seus núncios apostólicos [Embaixadas] em vários países. O México, o Chile e a Venezuela são as nações que mais mandam informações para o papado em Roma. Balducci disse que o Vaticano está observando a questão com bastante atenção e interesse, tendo inclusive instituído uma comissão para pesquisa do assunto.

“Os ETs não são demoníacos, não são produto de alucinações psicológicas, não são casos de entidades incorporadas. São seres de fora da Terra e seus encontros com os humanos merecem ser estudados cuidadosamente”, disse recentemente em entrevista ao vivo pela Rai Uno, a tevê estatal italiana. Considerando-se que o currículo do monsenhor Balducci inclui entre suas especialidades a de ser exorcista oficial do Vaticano, e que este sempre ‘demonizou’ fenômenos novos que lhe fugiam ao controle e eram incompreendidos, a atual postura da Igreja Católica é surpreendente.

Que o Vaticano sempre se interessou pela questão, disso não há a menor dúvida. Até o professor Michael Wolf sugeriu recentemente que a entidade acompanhasse o movimento mundial de ocorrências ufológicas [Veja UFO 69]. Mas daí a admitir publicamente que o tema não pode mais ser negligenciado pelas superpotências, como gosta de enfatizar o monsenhor, é uma atitude absolutamente sem precedentes. “No entanto, é necessário que o Vaticano não tente fazer da questão mais um motivo de doutrinação pública”, disse Wolf. Balducci garante que isso não ocorrerá, até porque, segundo ele, “quando os contatos se tornarem públicos, anunciados por governos mundiais, as religiões, os cientistas e as autoridades terão que unir forças para conduzir uma campanha de esclarecimento sobre a presença extraterrestre”.

crédito: ARQUIVO UFO
Balducci, o monsenhor que o Vaticano designou para lidar com a questão ufológica: “Os extraterrestres não são demoníacos”
Balducci, o monsenhor que o Vaticano designou para lidar com a questão ufológica: “Os extraterrestres não são demoníacos”

Alta Incidência e Possível Queda de UFO na Argentina

Um estranho fenômeno ocorreu em Porto Belgrano, cidade localizada a 600 km ao sul de Buenos Aires, no dia 18 de janeiro. O marinheiro aposentado Marcos Hermínio Faini observou a presença de um brilhante objeto a cerca de 2.000 m de altitude e, ao mesmo tempo, um poderoso tornado abaixo dele, quando estava sentado na janela de um ônibus. O caso marcou o ápice de uma onda que o país enfrentou entre os meses de janeiro e fevereiro passado. “O tornado era concentrado e não se movia. Quando tentava localizar a coluna de poeira, vi um objeto brilhante parado no céu e mostrei-o ao sargento encarregado do hospital do Comando Militar”, disse Faini. “O militar afirmou que se tratava de um disco voador. Outras pessoas que estavam no ônibus também viram o objeto”, completou.

A estação meteorológica da Base Aérea de Comandante Espora, que é operada pelas Forças Armadas Argentinas, declarou que as condições atmosféricas naquele momento não eram favoráveis para a formação de tornados. “Nenhuma anomalia foi detectada”, informou o capitão Ricardo Legron, considerando ainda que o objeto pudesse ser um satélite meteorológico, ao contrário do que as autoridades de Espora afirmaram, de que lançamentos desses satélites naquela área já não eram mais realizados. Apenas uma semana depois, em 25 de janeiro, por volta das 13:00 h, moradores de Sachayoj, um vilarejo da província de Chaco, região norte da Argentina, observaram um objeto brilhante no céu. Alguns descreveram o objeto como sendo uma bola de fogo. “Era brilhante e parecia que estava em chamas”, disse uma das testemunhas.

Outra bola de fogo, desta vez enorme, teria caído noutra área com muitas árvores nos arredores de Sachayoj. Estudiosos especulam que possa se tratar do mesmo objeto. Desta vez, os moradores puderam ouvir barulhos baixos seguidos por uma forte explosão e muita fumaça. Um tremor também atingiu a região por vários minutos. Ramon Agustín, que trabalha na Escola Provincial de Andrés Bello, explicou que o fenômeno causou um forte impacto e que ninguém conseguiu entender o que poderia ter sido aquilo. O pânico foi dividido com outros moradores. No vilarejo de Rojas, próximo a Sachayoj, testemunhas explicaram que a bola de fogo era muito grande e caiu rapidamente, vindo do norte e acompanhada por um assobio e um trovão. A comissária Olga Bertodotti disse aos jornais argentinos que um fazendeiro observou o objeto cair, mas ele não foi localizado.

Objeto Brilhante –
No dia seguinte, 26 de janeiro, técnicos, pesquisadores e astrônomos de todas as partes do país cobriram a região e começaram a pesquisar a queda com a supervisão da polícia. Até dia 29, os experts tentaram em vão localizar o estranho objeto acidentado. Alguns estudiosos foram até a área conhecida como La Esperanza, a nordeste de Santiago Del Estero, onde um outro objeto luminoso, dias antes, também fora avistado em queda. Alguns moradores afirmaram tratar-se de um meteoro, enquanto outros descreveram um UFO brilhante. O ufólogo Carlos Alberto Zardia disse que espera encontrar algo na área, já que os moradores do local são simples e não têm razão para mentir.


Grande Ofertas Exclusivas da Revista UFO