Edição 221

Há conexão entre Ufologia e espiritualidade?

01 de Março de 2015

PONTO DE ENCONTRO

Onde os Leitores da UFO se Manifestam

Muito sugestiva a capa da edição UFO 220. Eu sei, claro, que se trata de uma imagem produzida com recursos de computação gráfica, e com alta qualidade, pelo ilustrador Rafael Amorim. Mas ela me deixou pensando em como seria um contato oficial com nossos visitantes. Será que ocorreria como na cena, em praça pública? Ou apenas para uns escolhidos?
Maria Inêz Álves,

Serra Azul (ES)

Miriam Delicado

Estive presente no II Fórum Mundial de Contatados 2014, que a Revista UFO promoveu em Curitiba, em maio passado, e assisti com enorme alegria e até emoção a palestra da abduzida e contatada canadense Miriam Delicado, que empolgou a plateia com sua conferência aberta sobre suas experiências. Agora, ver sua entrevista na seção Diálogo Aberto da edição UFO 220, A Mensagem dos Extraterrestres ao Ser Humano é Respeitar a Vida, causou-me profunda alegria. E mais, pude desta vez compreender com mais profundidade a vivência deste ser humano. Obrigada à Maureen Martini Braz por entrevistá-la e à Revista UFO por essa agradável surpresa.
Maria Derzi Gomes,
Porto Alegre (RS)

crédito: ARQUIVO MIRIAM DELICADO
Os leitores apreciaram a forma aberta e sensível como Miriam Delicado se apresentou
Os leitores apreciaram a forma aberta e sensível como Miriam Delicado se apresentou

Raras vezes na UFO — revista que venho acompanhando há quase duas décadas — li uma entrevista tão equilibrada e sensata quanto a da abduzida e contatada Miriam Delicado, A Mensagem dos Extraterrestres ao Ser Humano é Respeitar a Vida, na seção Diálogo Aberto de UFO 220. No entanto, lamentei que não tivesse me sido possível assistir ao II Fórum Mundial de Contatados 2014, que a Revista UFO promoveu em Curitiba, em maio passado, para conhecer Miriam e ouvir de sua boca tudo o que li na publicação.
Ernesto Chioretti,
São Paulo (SP)

A entrevista da canadense Miriam Delicado em UFO 220, A Mensagem dos Extraterrestres ao Ser Humano é Respeitar a Vida, foi excepcional. Ela tem um posicionamento extremamente claro sobre a Ufologia e a presença alienígena na Terra, além de uma interpretação coerente e nada excêntrica de suas experiências.
Reinaldo Bastos,
por e-mail

Vossas Excelências

Muito bom o texto do editor A. J. Gevaerd na seção Em Foco de UFO 220, O Que Farão Vossas Excelências?, referindo-se aos resultados do VI Fórum Mundial de Ufologia (III UFOZ 2014), realizado por esta publicação em Foz do Iguaçu, em novembro passado. Saber que a Comissão Brasileira de Ufólogos (CBU) persiste com sua vitoriosa campanha para obter a abertura ufológica total no país, por meio da campanha UFOs: Liberdade de Informação Já, é uma alegria para quem é apaixonado pelo tema. Tomara que “vossas excelências” das Comissões de Relações Exteriores e Defesa Nacional da Câmara dos Deputados e do Senado Federal tenham a sensibilidade de atender o pedido dos ufólogos brasileiros.
Maria Virgínia Telles,
por e-mail

O dia seguinte

O texto O Dia Seguinte, do coeditor da Revista UFO Thiago L. Ticchetti, publicado como matéria de capa na edição de fevereiro, começa com a seguinte pergunta: O que permanece e o que muda em nossas vidas quando eles chegarem? Bem, eu respondo: tudo, literalmente tudo muda quando nossos visitantes extraterrestres se apresentarem à nossa sociedade planetária. Teremos que encarar nossos problemas e crescer “na marra”, vencendo nossas diferenças e sendo maduros para entender os novos tempos.
Ewerton Tolentino,
Passo Fundo (RS)

Parabéns ao coeditor da Revista UFO Thiago L. Ticchetti pelo texto O Dia Seguinte, da edição passada. Ticchetti soube fazer uma ampla e consistente análise do vasto e complexo panorama da presença alienígena na Terra e apresenta suas consequências para uma civilização em profundo desencontro e carecendo de tudo para estar à altura do convívio com seres de avançadas espécies cósmicas.
Paulo Tenório Júnior,
por e-mail

Muito bem redigido e sensato o texto O Dia Seguinte, do coeditor Thiago L. Ticchetti, em UFO 220. O trabalho mostra uma evolução da Ufologia de maneira gradual, chegando a nos fazer ver que as mudanças que esperamos que haja, quando da chegada de outras inteligências cósmicas à Terra, são aquelas que devemos fazer em nós mesmos.
Fidélis Armando Castro,
por e-mail

Não chega a ser sombrio, mas causa um certo temor o texto O Dia Seguinte, de Thiago L. Ticchetti. Não por conter qualquer informação alarmante, mas por ser uma peça extremamente realista sobre o que precisamos mudar em nós mesmos antes e depois de um derradeiro contato oficial e definitivo com estes seres.
Marina Morena Campos,
Ibitinga (SP)

Caso Caiana

Sou adepto da pesquisa ufológica compromissada, aquela que resulta da investigação de campo e de uma análise coerente dos dados nela recolhidos. Pois é isso que se vê no texto Caso Caiana: Desdobramentos de um Clássico da Ufologia Mineira, da consultora Laura Elias, em UFO 220. Parabenizo seu trabalho, assim como os de Paulo de Carvalho Nogueira e Paulo Baraky Werner, nos quais Laura se baseou, para levantar todas as hipóteses que cercam este impressionante caso ufológico.
Eduardo Nunes Cerqueira,
Nova Friburgo (RJ)

crédito: PAULO WERNER
Os leitores apreciaram o artigo sobre a abdução da família Caiana, ocorrida na década passada em Minas Gerais
Os leitores apreciaram o artigo sobre a abdução da família Caiana, ocorrida na década passada em Minas Gerais

Sou do sul de Minas Gerais e acompanhei o caso de abdução alienígena da família Caiana, de Iturama, que já havia sido apresentado preliminarmente em UFO e que agora, em sua edição 220, é reintroduzido ao leitor com o título Caso Caiana: Desdobramentos de um Clássico da Ufologia Mineira, pela consultora Laura M. Elias. Tenho convicção da legitimidade da experiência daquela família, pois ouvi seus depoimentos por todos estes anos, sempre inalterados.
Rui Matoso Otoni,
Alfenas (MG)

É interessante, no texto Caso Caiana: Desdobramentos de um Clássico da Ufologia Mineira, da autora Laura Elias, a informação de que, poucos minutos depois de surgirem as luzes para os Caiana, o interior do carro em que estavam começou a esquentar, até chegar a um ponto em que todos começaram a suar. Isso é um indicativo de sua autenticidade, pois segue os padrões da casuística ufológica mundial. Engraçado também é o que diz a pequena Lavínia, neta de João Caiana, que brincou olhando para as luzes: “Vem nenê, vem dormir comigo”.
Zenaide Sambaiala Duarte,
por e-mail

Proposta para a Ufologia

Eu já tinha conhecimento de que a Revista UFO havia lançado a iniciativa chamada Grupo de Apoio ao Avanço da Consciência Cósmica (GAACC), que visa arrecadar e gerenciar recursos para serem destinados à pesquisa ufológica em nosso país. Mas foi uma satisfação ver no texto Uma Proposta Concreta de Avanço da Ufologia Brasileira, em UFO 220, que a ideia está dando resultado e que já há inúmeros projetos sendo financiados por ela. É disso que precisamos: de boas iniciativas e boa intenção.
Olívio Baraçal Nunes,
Belém (PA)

O Fenômeno UFO

Parabéns ao professor Rubens Junqueira Villela pelo artigo Do Avistamento ao Contato, a Complexidade do Fenômeno UFO, em UFO 220. Sua descrição de observações de UFOs na Antártica e de experiências incríveis de contatação de ETs com hora marcada no interior de São Paulo é fascinante. Sugiro à Revista UFO fazer uma matéria mais completa sobre os abduzidos citados pelo professor na matéria.
Erasmo D. Torquato,
por e-mail

Leitores sugerem

Gostaria de ver uma entrevista com o ufólogo norte-americano John Lear, uma das lendas vivas da Ufologia Mundial, que denunciou tantos atos secretos do governo norte-americano para esconder os discos voadores.
Mariana Chereze Leite,
Boa Esperança (MG)

Leitores comentam

Parabéns pelo trabalho que a Equipe UFO vem realizando há anos. Sou pesquisador e educador e procuro colaborar, dentro de minhas possibilidades, para criar uma nova consciência em nossa juventude. Conte com o meu apoio e com minha disposição em colaborar com os estudos e pesquisas em qualquer oportunidade.
José Roberto Barros Mattos,
por Facebook

Os leitores relatam

Sou investigador da Polícia Civil em Campo Grande e tive o privilégio de avistar um UFO pela primeira vez aos 17 anos, à luz do dia. O objeto não apresentava foco de luz, era apenas uma estrutura na forma de um prato aparentemente de metal em tom escuro, próximo do marrom. Passou a uma velocidade muito grande e a uma altura aproximada de 100 m, que calculei baseando-me em um princípio simples: quanto mais distante o objeto, menos vivas são suas cores, por causa da atmosfera. O avistamento durou não mais que dois segundos, pois cortou o espaço de oeste a leste a uma velocidade impressionante. Não havia outras testemunhas e não confundi com um caça ou coisa do tipo, pois aquilo não provocou nenhum tipo de ruído — e se hoje, aos 40 anos, minha visão é excelente, imagine você naquela época.
Sandro Mariano Rocha,
Campo Grande (MS)

Gostaria de relatar um fato ocorrido comigo em Juiz de Fora, em 15 de setembro de 2013, às 03h40. Eu estava no quintal de casa e, ao olhar para o céu, que estava bem limpo e com muitas estrelas visíveis, notei bem acima de mim quatro luzes se movimentando no sentido norte-sul — a posição entre elas era equidistante, formavam um losango e não piscavam. Não sei precisar sua altitude, porém eram um pouco maiores do que as estrelas mais brilhantes vistas no céu. Não escutei som algum enquanto as luzes cruzavam o firmamento e a princípio pensei que se tratasse de um único objeto com quatro pontos de luz. Porém, mais à frente, as luzes começaram a trocar de lugar umas com as outras sem um padrão definido, como que brincando entre elas, mas sem mudar a direção em que seguiam — assim pude notar que eram quatro fontes de luz separadas. Foram alguns segundos de observação até a casa do vizinho bloquear a vista. Não sei o que era aquilo, mas tenho certeza do que não era, pois conheço aviões e outras aeronaves e suas luzes, e aquilo foi completamente diferente.
Vinicius Freitas,
Juiz de Fora (MG)