Edição 218

Frente a frente com eles

01 de Dezembro de 2014

PONTO DE ENCONTRO

Onde os Leitores da UFO se Manifestam

Stephen Bassett

A entrevista com o ativista ufológico norte-americano Stephen Bassett, do Paradigm Research Group (PRG) e um dos fundadores da Exopolítica, foi muito boa. Venho acompanhando as atividades de Bassett ao longo dos anos, entre elas as Audiências Públicas sobre Abertura, em Washington, no ano passado, e tenho a dizer que ele é um verdadeiro lutador pela liberdade de informações ufológicas.
César Pereira Filho,
Rio de Janeiro (RJ)

crédito: PRG
Stephen Bassett diz que não abandonará a luta pela abertura ufológica dos EUA
Stephen Bassett diz que não abandonará a luta pela abertura ufológica dos EUA

O ativista ufológico norte-americano Stephen Bassett tem toda razão em manter seu programa de pressão ao governo dos Estados Unidos para que faça uma abertura ufológica de seus documentos secretos, tal como fez o Brasil. Honesta e infelizmente, no entanto, duvido que tal fato ocorra, visto que o país é o iniciador e o maior interessado na política de manutenção de segredo aos UFOs.
Jovanir Mirim Gotardo,
por e-mail

É difícil dizer se um dia haverá uma abertura global quanto à presença alienígena na Terra por parte dos governos, como quer o ativista ufológico norte-americano Stephen Bassett. E se isso ocorresse, mais difícil ainda seria estimar que reação tal fato causaria no mundo. Mas uma coisa é certa: o caminho da verdade é sempre o melhor e é por ela que devemos lutar.
Cássia Maria Calsenbach,
Blumenau (SC)

Exoplanetas

É incrível saber que há poucos anos, não mais do que uma década, nós não tínhamos a menor noção de que havia outros planetas fora do Sistema Solar — só tínhamos elementos para suspeitar, até com uma razoável certeza, de que sim, mas comprovação que é bom, nada. De lá para cá muita coisa mudou e hoje já temos a certeza de que pelo menos uns 2 mil planetas estão aí fora. Se a este número chegamos em tão pouco tempo, o que dirá daqui mais algumas décadas?
José Antonio C. Britto,
por e-mail

Os exoplanetas, ou planetas extrassolares, são uma realidade. Mas, infelizmente, nossos recursos tecnológicos para detectá-los ainda são muito simplórios e primários, o que nos leva a ter um número de menos de 2 mil deles confirmados em um universo em que se estima haver 1070 estrelas. Se cada uma delas tiver, como o nosso Sistema Solar, dez planetas ao redor, serão 10 x 1070 planetas no universo, um número espantoso.
Ricardo Bento,
por e-mail

As entidades de pesquisas astronômicas, entre elas a Agência Espacial Norte-Americana (NASA) e o Projeto SETI, programa de busca por vida extraterrestre inteligente, deveriam fazer um esforço concentrado para aumentarem o número de planetas extrassolares confirmados, mas também, ao mesmo tempo, achar um meio de detectar se há forma de vida neles.
Rosely Páscoa Assumpção,
Serra (ES)

Não adianta muito investirmos milhões de dólares na busca por novos exoplanetas e outros milhões na busca de formas de vida extraterrestre inteligente por meio de sinais de rádio, já que há milênios somos frequentemente visitados por outras inteligências em seus discos voadores. Eles estão aqui abertamente — mas apenas para quem tem olhos para vê-los e mentes para entendê-los.
Edilaine Jacinto Moura,
Osório (RS)

Bianca de Oliveira

Leio a UFO todos os meses e posso afirmar que a continuarei lendo por muitos anos. Estive no II Fórum Mundial de Contatados, em Curitiba, em maio. Não há necessidade de tecer elogios quanto ao sucesso do evento, pois foi ótimo. Gostaria de tratar da entrevista com Bianca de Oliveira, em UFO 216, que foi a melhor que já li na revista. A experiência dela foi semelhante à da Miriam Delicado, conferencista a se apresentar no Fórum de Curitiba. Porém, o exposto por Bianca foi mais claro e objetivo, talvez por ter sido uma entrevista tão bem feita pelo coeditor da Revista UFO Marco A Petit. Como se aprende com essas pessoas. Parabéns e continuem com essa qualidade linda de vocês.
Anselmo de Oliveira,
por e-mail

Leitores comentam

Acompanho a Revista UFO há muito tempo, mas o que tenho notado de uns anos para cá é que as pesquisas de campo têm ficado um pouco mais escassas. Publicam-se muitas reflexões, artigos e notícias de fora, mas e quanto aos casos brasileiros? As coisas que acontecem dentro do país? Onde estão as reportagens sobre UFOs no Nordeste, por exemplo? Recentemente os municípios Cruz e Canindé, no Ceará, passaram por casos interessantes de aparições e de mutilações, mas o Nordeste está completamente ignorado ultimamente. Fica a minha dica e espero que tenha sido produtiva.
Rafaela Oliveira,
por e-mail

Sou grande apreciador do trabalho da Revista UFO e realmente creio em UFOs. Gostaria muito que as autoridades do mundo não tentassem mais esconder isso da gente, pois já está óbvio que ETs existem, tanto com provas visuais como até históricas e bíblicas.
Rodrigo Santos,
por e-mail

Comecei a ler a Revista UFO há pouco tempo e estou gostando bastante. Achei a publicação bem informativa e aprecio a parte de relatos dos leitores, pois podemos ver casos reais de gente comum. E, ao contrário do comentário de uma leitora que vi em uma das recentes edições, não acho que as entrevistas sejam longas demais. Gosto que a revista tenha muitas matérias e entrevistas para ler — quanto mais, melhor. Isso é bom, pois compensa o valor pago. Também gostei de comprar no site da UFO. Sua loja é boa, fácil de adquirir e a entrega é rápida. Pretendo comprar agora alguns livros e DVDs.
Déborah Ramos,
Americana (SP)

Parabéns ao editor da Revista UFO, A. J. Gevaerd, pelo seu trabalho e dedicação desmistificando um tema tão controverso. Seus esclarecimentos são de profunda valia e seriedade.
Pedro Ovelar,
Cuiabá (MT)

Documentos secretos

A liberação de novos documentos ufológicos antes secretos pela Força Aérea Brasileira (FAB) é mais um avanço dado por nossa Ufologia, graças à Comissão Brasileira de Ufólogos (CBU), a quem tanto devemos por transformar o país em um vanguardista quando o assunto é reconhecimento oficial dos discos voadores aqui na Terra.
Maria Thereza Cunha,

Santos (SP)

Quero registrar que no artigo sobre a liberação de documentos pelo Governo Brasileiro, em UFO 216, a ABIN é citada como Agência Brasileira de Informações, quando seu nome real é Agência Brasileira de Inteligência.
Carlos Quezado,
por e-mail

Parabéns por mais uma vez conseguirem fazer o Governo Brasileiro liberar documentos ufológicos antes secretos das Forças Armadas. O esforço de vocês é notável e é graças ao seu trabalho que a Ufologia Brasileira hoje é uma realidade.
Aldemir Mateus Inácio,
Cascavel (PR)

Fábrica de UFOs

Nunca acreditei em discos voadores ou seres extraterrestres até que um dia uma nave parou próxima da janela de meu apartamento, em Uruguaiana, e depois saiu a uma velocidade imensa. Desde então leio tudo sobre o assunto e queria saber se existe alguma teoria sobre o dia a dia em um planeta alienígena. Por exemplo, alguém pode imaginar uma fábrica de discos voadores? Como é sua engenharia? Fico pensando que, pelos formatos e modelos de UFOs vistos, são inúmeras indústrias de naves nestes planetas.
Maxsandro Silva de Oliveira,
Sapucaia do Sul (RS)

Marcelo Gleiser

Fiquei triste e pasmo ao ver o físico Marcelo Gleiser afirmar categoricamente na TV que no universo não existe vida como a humana terrestre, somente seres inferiores como micróbios. Perguntei a ele no Facebook: baseado em que faz uma afirmação destas?
Jair José Teston,
Passo Fundo (RS)

Fico indignado a cada novo vídeo do físico Marcelo Gleiser que assisto em sites como Youtube. É simplesmente inacreditável que este cientista faça as afirmações que faz. Por exemplo, em uma entrevista, ele diz com todas as letras que quem vê discos voadores são bêbados e desocupados. Ora, eu já vi um UFO e não bebo e trabalho muito, como engenheiro florestal no Maranhão. Quem Gleiser pensa que é para falar estas coisas?
Rogério Mendes Buarque,
São Luís (MA)

É um ultraje a forma como o físico Marcelo Gleiser trata da Ufologia, das testemunhas de ocorrências ufológicas, das abduções alienígenas e até dos agroglifos. Ele se mete em todos estes temas, faz afirmações sobre eles como especialista, mas a impressão clara que deixa é que nada entende disso tudo e é apenas um cético ou debunker. A serviço de quem?
Maria Helena Colasanti,
Osasco (SP)

Eisenhower e os ETs

Na edição UFO 213, de julho, no artigo Teria Eisenhower se Encontrado com Aliens?, do ufólogo australiano Michael Salla [Um dos fundadores da Exopolítica, ao lado de Stephen Bassett], é dito que houve uma advertência por parte dos nórdicos, antes de ter sido assinado um acordo com os grays. Por outro lado, a mensagem do agroglifo de 16 de agosto de 2002, segundo interpretado por Jaime Maussán, diria tacitamente: “Cuidado com os portadores dos falsos presentes e suas promessas falsas. Há muita dor, mas ainda há tempo. Acreditem que ainda há bondade lá fora. O canal será fechado”. Basta comparar as duas coisas e se constatar a realidade. O que poderíamos fazer antes que o canal se feche? Dependeria de nós ou dos militares norte-americanos que fizeram o acordo?
Pedro E. C. Ventura,
Rio de Janeiro (RJ)

Leitor sugere

Tenho uma sugestão a fazer: vocês poderiam organizar vigílias ufológicas periodicamente e em diferentes cidades, talvez divulgar um calendário delas. Queria uma atividade assim em Peruíbe, como ocorreu em anos passados, mas não neste. Vigílias atraem bastante gente, como a que anualmente ocorre em Espírito Santo do Pinhal (São Paulo), que cada vez aumenta mais.
Evandro Morais,
por e-mail

Objeto triangular em Ilhabela, no litoral de São Paulo

crédito: Olívia Déda

Envio à Revista UFO algumas fotos que tirei no mês de fevereiro de 2014 em Ilhabela, a bordo do navio de cruzeiro MSC Preziosa. As duas fotos iniciais sofreram edição de cor para justificar os 09 pontos brancos que aparecem nitidamente. As duas últimas [Entre estas, a acima] foram tiradas quase no mesmo momento de um smartphone. O objetivo das fotos era enviar para os amigos a imagem do belíssimo pôr do Sol que víamos no momento, daí o registro no celular e também com câmera. Os pontos brancos só foram observados quando descarreguei as imagens no computador. Meu objetivo é tão somente contribuir com os estudos.
Olívia Déda,

por e-mail

TERMÔMETRO DA EDIÇÃO ANTERIOR
Mal chega a UFO nas bancas, meu jornaleiro me avisa, quando então vou correndo comprar a minha e devorá-la. Muitas vezes chego a reler a revista duas ou três vezes, tamanha é a ansiedade para que chegue o próximo mês e lá venha uma edição nova.
— Vera Lúcia Giotto,

Mamanguape (PB)


Fui assinante de UFO e depois passei e comprar esporadicamente nas bancas, porque não acho mais que valha a pena o investimento. A revista já não traz mais nada de novo e a Ufologia está desgastada com tantas falsas informações que circulam na internet.
— Célio Tattenbaum,
Bauru (SP)