CAPA

A mesma questão de sempre: nosso arsenal atômico

Revista UFO | Edição 210 | 01 de Abril de 2014

SHARE

PONTO DE ENCONTRO

Onde os Leitores da UFO se Manifestam

General Uchôa

Que excelente ideia da Revista UFO resgatar esta entrevista histórica com nosso grande pioneiro e verdadeiro desbravador da Ufologia Brasileira, o general Alfredo Moacyr de Mendonça Uchôa [Seção Diálogo Aberto da edição 209, A Resposta Para o Fenômeno UFO Pode Ser um Mergulho no Hiperespaço, de Bob Pratt]. Podemos ver que o militar e ufólogo, mesmo há mais de três décadas, quando a entrevista foi realizada, já tinha um pensamento ousado sobre a presença alienígena na Terra.
Camila Albuquerque Malta,
Araçoiaba da Serra (SP)

A Revista UFO deu um presente à Ufologia Brasileira, especialmente às suas novas gerações, ao publicar a entrevista A Resposta Para o Fenômeno UFO Pode Ser um Mergulho no Hiperespaço, com o general Alfredo Moacyr de Mendonça Uchôa, em UFO 209. A visão transcendental do Fenômeno UFO que tinha o saudoso “General
dos UFOs” ainda causa espanto.
Moacir Nunes Chagas,
por e-mail

crédito: ARQUIVO UFO
O general Alfredo Moacyr Uchôa mostrou ser um homem à frente de seu tempo
O general Alfredo Moacyr Uchôa mostrou ser um homem à frente de seu tempo

Tenho apenas 27 anos e me dedico à pesquisa ufológica desde minha adolescência. Gostaria muito de ter sido parte da geração de ufólogos que me precedeu, que teve o privilégio de conviver com luminares desta disciplina, como o entrevistado da edição UFO 209, o general Alfredo Moacyr de Mendonça Uchôa. Estou lendo suas obras e vejo que mesmo há décadas ele já tinha ideias complexas e que muito ajudaram a compreender a natureza dos discos voadores.
Kauãn Schneider,
Joinville (SC)

Fiquei surpresa e maravilhada com a entrevista do saudoso “General dos UFOs” na edição UFO 209, de março, A Resposta Para o Fenômeno UFO Pode Ser um Mergulho no Hiperespaço. Acompanho a Ufologia desde os anos 70, tendo tido a oportunidade de conhecer o trabalho deste notável homem. De lá pra cá, no entanto, ao passo que percebo o dinamismo crescente da Ufologia Brasileira — especialmente graças à Equipe UFO —, vejo muito poucas novas ideias sobre o tema. O general ainda está atual e faz falta.
Magali Coutinho Maia,
por e-mail

Foram incríveis as experiências de contato direto com seres extraterrestres que o general Alfredo Moacyr de Mendonça Uchôa revelou em sua entrevista ao jornalista norte-americano Bob Pratt, como li na entrevista da seção Diálogo Aberto da edição UFO 209, A Resposta Para o Fenômeno UFO Pode Ser um Mergulho no Hiperespaço. Agradeço à UFO por veicular este material e ao filho do entrevistado, o também general Paulo Yog Uchôa, por facilitar isso.
Joab Gomes Eliseu,
Sorocaba (SP)

Paul Hellyer

O ex-ministro da Defesa canadense, Paul Hellyer, entrevistado da UFO 123 e citado em várias notícias em inúmeras outras edições, continua surpreendendo. Ele agora fala que os ETs poderiam repassar tecnologia para nós, terráqueos, segundo a nota Paul Hellyer Volta a Falar em Contatos com Extraterrestres, da seção Mundo Ufológico de UFO 209. Eu fico me perguntando se todas essas coisas que ele fala vêm de informações privilegiadas a que teria acesso, ou apenas da cabeça dele?
Maurício Verdão,
Rio de Janeiro (RJ)

Edison Boaventura Júnior

É, no mínimo, absurda a atitude que Edison Boaventura Júnior vem tendo em desfavor da Ufologia Brasileira, como demonstrado na Mensagem do Editor de UFO 209, Uma Atitude Mina os Esforços de Busca Por Uma Abertura Ufológica Total. Manter documentos públicos de cunho ufológico, que deveriam estar disponíveis a todos os cidadãos, com a nítida intenção de levar vantagem, é vergonhoso e ultrajante a quem se dedica à pesquisa do Fenômeno UFO. Boaventura Júnior não deveria nem ser tachado de “ufólogo”, e muito menos fazer parte da Comunidade Ufológica Brasileira. O pior é vê-lo sorrindo e mostrando fotos oficiais das Forças Armadas, como quem diz: “Vejam seus tolos, a verdade permanecerá comigo”.
Danielle Rodrigues de Oliveira.
Campo Grande (MS)

Vergonhosa e entristecedora a atitude de Edison Boaventura Júnior de reter para si documentos e fotos originais de UFOs, que ganhou de ex-membros de programas oficiais de pesquisas ufológicas da Força Aérea Brasileira (FAB). Não apenas ele não atendeu ao pedido de quem lhe deu precioso material — que queria que ele fosse de conhecimento de toda a Ufologia Brasileira —, como ainda insiste em reter exclusivamente para si algo que pertence ao Governo Brasileiro. Sansões jurídicas cabem aqui para resguardar os interesses dos ufólogos e restabelecer a posse deste material a quem de direito.
Mário Campos Souza,
por e-mail

Avistamento no Sertão

Muito interessante o artigo da convidada especial Lalla Barretto em UFO 209, Um Avistamento Marca o Sertão no Século XIX. Foi enriquecedor para mim, nordestino do interior da Paraíba, saber de um acontecimento tão importante com um homem que marcou nosso passado, Antônio Conselheiro. Parabéns à Revista UFO por esta sacada.
Raimundo Nonato Sousa,

Alagoinha (PB)

É fascinante a história do missionário Antônio Conselheiro, que foi testemunha de uma manifestação ufológica em 1887, como se vê no interessante texto Um Avistamento Marca o Sertão no Século XIX, da convidada especial Lalla Barretto, na edição UFO 209. Que riqueza de detalhes foi trazida à tona pela autora em sua pesquisa, algo que realmente mostra a antiguidade da ação extraterrestre no Brasil.
José Campos,
por e-mail

crédito: RAFAEL AMORIM
Muitos leitores escreveram elogiando o artigo que retratou o avistamento de uma sonda ufológica por Antônio Conselheiro, na Paraíba do século XIX
Muitos leitores escreveram elogiando o artigo que retratou o avistamento de uma sonda ufológica por Antônio Conselheiro, na Paraíba do século XIX

Gostei muito do artigo Um Avistamento Marca o Sertão no Século XIX, de Lalla Barretto, na edição UFO 209. Sabemos que discos voadores se manifestam em todo o mundo há séculos e até há milênios, mas o que sempre nos faltou foi ter a confirmação disso a partir de fontes históricas confiáveis, que é o que me pareceu o livro O Rei dos Jagunços: Crônica de Costumes Sertanejos, de autoria do jornalista Manoel Benício e publicado em 1899. Parabéns à Lalla por sua investigação.
Maria Thereza A. Schell,
Rio de Janeiro (RJ)

Sou estudioso da história de Peregrino Antônio Vicente Mendes Maciel (1830-1897), amplamente conhecido como Antônio Conselheiro, um homem que foi considerado quase santo por seus seguidores no Nordeste. O artigo Um Avistamento Marca o Sertão no Século XIX vem consagrar o que eu já sabia por ter lido textos anteriores que descrevem os feitos deste homem, assim como suas experiências — das quais, uma das que mais o marcou, é esta de seu avistamento ufológico.
Irineu Ragazzo Teles,
por e-mail

A Revista UFO nos surpreende sempre. Cada nova edição traz textos muito interessantes, como o artigo Um Avistamento Marca o Sertão no Século XIX, de Lalla Barretto, em UFO 209. Fiquei maravilhado com a descrição do avistamento de Antônio Conselheiro, quase a ponto de imaginar a cena como se ali estivesse. Também achei interessantes as menções ao fogo fátuo, pois sabemos que para os simples moradores do interior, em especial do Nordeste e da Amazônia — como já frisou o editor A. J. Gevaerd —, quase todas as manifestações luminosas são chamadas assim.
Célia Guima Brittes,
por e-mail

Parabéns à historiadora e psicanalista Lalla Barretto por sua investigação da vida de Antônio Conselheiro, que levou ao seu artigo Um Avistamento Marca o Sertão no Século XIX, da edição UFO 209. O texto é muito interessante e mostra, sem nenhum questionamento, que UFOs já são vistos em nossos sertões há muito tempo. Não resisti em fazer uma analogia com as manifestações de naves alienígenas retratadas no filme norte-americano Cowboys versus Aliens [2012], só que sem os ataques em no nosso território.
Juno José Romanelli,
Petrópolis (RJ)

Sumérios no passado do país

Surpreendente o trabalho de pesquisa do autor e convidado especial da edição UFO 209, André de Pierre, retratado em seu artigo ETs Estiveram no Brasil no Passado Remoto? A ideia de que seres vistos como deuses pelos sumérios podem ter trazido sua tecnologia para o nosso continente, estabelecendo bases de operação no Brasil, é muito inteligente e o autor a fundamenta muito bem. Parabéns a ele.
Romeu A. A. Theo,
Nova Iguaçu (RJ)

Sempre desconfiei que a Pedra da Gávea, no Rio de Janeiro, tinha alguma coisa a ver com os sumérios e outros povos antigos — aliás, já se sabia que havia sido visitada por fenícios. Porém, não tinha ideia de que os sítios arqueoastronômicos do Morro da Galheta, em Florianópolis (SC), e do Gigante Deitado, em Bofete (SP), tivessem ligação com ela e nem com a vinda ao Brasil, no passado, de integrantes da mítica civilização suméria. O texto ETs Estiveram no Brasil no Passado Remoto?, de André de Pierre, é muito esclarecedor a respeito.
Délia Amélia Navio,
Coaraci (PA)

crédito: Eugene Thompson
O autor André de Pierre sugere que a semelhança da Pedra da Gávea com um rosto humano não é nenhuma coincidência da natureza
O autor André de Pierre sugere que a semelhança da Pedra da Gávea com um rosto humano não é nenhuma coincidência da natureza

Conheço o megálito da Praia da Galheta, na Ponta do Frade, em Florianópolis (SC), que é um dos mais impressionantes sítios arqueoastronômicos do Brasil, mas não tinha a menor ideia de que pudesse estar relacionado à possível vinda de sumérios ao nosso país no passado, como aventa o estudioso André de Pierre em seu artigo ETs Estiveram no Brasil no Passado Remoto?, de UFO 209. Gostei de conhecer este novo aspecto do monumento.
Maria Aparecida Janete Paes,
Biguaçu (SC)

A seguinte afirmação do estudioso e conferencista André de Pierre resolve toda a questão da antiguidade da ação de sumérios no país: “Estamos tratando de monumentos naturais escolhidos segundo algum critério e trabalhados com elevada tecnologia para servirem de orientação astronômica ou outra, tudo conectado aos sumérios, ao Caminho Peabiru e principalmente aos anunnaki”. Parabéns ao autor por tanta inspiração e esforço no trabalho investigativo. E à Revista UFO pela publicação do excelente e informativo artigo.
André Campos Fontenele,
Erechim (RS)

A Ufologia no divã

Já me fiz várias vezes a pergunta que dá início ao texto A Ufologia no Divã: Reflexões Sobre a Busca Pelo Desconhecido, de Jorge Dellane da Silva Brito, em UFO 209: O que motiva levas de entusiastas do Fenômeno UFO a dedicarem seu tempo e esforço em busca de evidências da ação extraterrestre em nosso planeta? Pois agora Dellane nos oferece uma luz, na forma de análise psicológica, do perfil dos pesquisadores de discos voadores no Brasil e no mundo.
Rui Castro,
Londrina (PR)

O artigo A Ufologia no Divã: Reflexões Sobre a Busca Pelo Desconhecido, de Jorge Dellane da Silva Brito, em UFO 209, me pareceu ter alguns pontos que excedem em divagação, mas no final o autor mostra que a busca de respostas para o Fenômeno UFO é algo íntimo e de grande importância para quem o faz, algo que pode revelar uma razão mais expressiva do que supomos.
Nivaldo A. Ramos,
por e-mail

Como um buscador na verdadeira acepção da palavra, muito bem fundamentada no texto A Ufologia no Divã: Reflexões Sobre a Busca Pelo Desconhecido, de Jorge Dellane da Silva Brito, me considero um ser humano cósmico. Acredito que também em outros mundos, de igual nível de desenvolvimento que a Terra, outros seres olhem as estrelas e também se perguntem se estão sós no universo. Não, não estão, e um dia nós e eles saberemos disso juntos de maneira definitiva.
Beth L. Cáceres,
por e-mail

Ginho, o ET de Varginha

O Ginho, o ET de Varginha, está cada dia mais impagável. A primeira coisa que faço ao comprar minha Revista UFO todos os meses é ir ao final da edição procurar a tira do genial Márcio Baraldi, com a qual sempre me divirto.
Márcio Deilton Bruno,
por e-mail

Terra Vigiada

Sensacional o livro Terra Vigiada, do pesquisador norte-americano Robert Hastings, que acabo de ler [Código LIV-025 da coleção Biblioteca UFO. Confira na seção Shopping UFO desta edição e no Portal UFO: ufo.com.br]. A obra penetra fundo em casos bem documentados em que UFOs interferiram em instalações que usam energia nuclear e em silos de mísseis atômicos. Sou cliente da UFO e compro sempre seus livros, e por isso sei de sua qualidade. Mas a obra de Hastings me surpreendeu de forma muito positiva.
João Gualberto Soares,
por e-mail

crédito: CNN
O ex-ministro da Defesa do Canadá Paul Hellyer está sempre causando comoção com suas ousadas afirmações públicas
O ex-ministro da Defesa do Canadá Paul Hellyer está sempre causando comoção com suas ousadas afirmações públicas

Terra Vigiada realmente não é um livro qualquer. Ele mostra que aliens de fato monitoram nossos arsenais atômicos e até que estariam preparados para intervir caso nossa insensatez leve a humanidade a encarar sua autodestruição.
Júlia Amorim Mero,
por e-mail

DVDs do II UFOZ

Vi a publicidade dos DVDs das conferências do V Fórum Mundial de Ufologia (II UFOZ 2013) e logo adquiri vários deles, surpreendendo-me com sua alta qualidade e com a profundidade dos trabalhos apresentados no evento. Moro em Manaus, longe de Foz do Iguaçu — onde o Fórum sempre ocorre —, mas agora farei o possível e o impossível para ir ao próximo da série, seja onde for.
Walter Assis Monteiro,
Manaus (AM)

Muito bons os DVDs das conferências do V Fórum Mundial de Ufologia (II UFOZ 2013). Gostei particularmente das palestras de Nick Pope, Travis Walton e Mônica de Medeiros, sem desmerecer nenhum dos outros mais de 20 panelistas. Que time! Sugiro a todos comprarem estes produtos, pois valem muito à pena.
Vera Helena Abbud,
Cascavel (PR)

Projeto Contato

Parabéns à Revista UFO por lançar, em sua coleção Biblioteca UFO, a nova obra Projeto Contato [Código LIV-024 da coleção Biblioteca UFO. Confira na seção Shopping UFO desta edição e no Portal UFO: ufo.com.br], da médica e médium paulista Mônica de Medeiros e da psicanalista e música Margarete Áquila. Tive a satisfação de ler a obra e já a estou relendo, de tão fascinada que fiquei. Qualquer trabalho que venha destas autoras merece nossa atenção.
Juarez Martinho,
São Paulo (SP)

Segundo Mônica de Medeiros e Margarete Áquila, em sua obra Projeto Contato, as abduções que se dão em corpo astral ou em perispírito são mais suaves e suas lembranças mais fugidias. Sou prova disso, pois tenho tais experiências. Gostaria que a Revista UFO publicasse um novo texto de Mônica e Margarete sobre o assunto.
Orfeu Celestino,
por e-mail

Contato em São Paulo

Muito boa a matéria sobre a experiência com o senhor Nelson de Paula, Impressionante Contato em São Paulo, do consultor da Revista UFO Paulo Pilon, publicada na edição 205. Ficaria ainda melhor se viesse acompanhada de uma entrevista em vídeo com a testemunha do avistamento.
William Xavier,
por e-mail

Agroglifos de Santa Catarina

Estou iniciando minhas leituras sobre UFOs e ainda sei pouco sobre o assunto, mas sempre acreditei em vida em outros planetas. Tenho muita curiosidade sobre agroglifos e gostaria de saber se já foi identificado algum vestígio que leve à autoria das figuras por alguma espécie de extraterrestres? Acredito que, com sua inteligência, o ser humano possa fazer um agroglifo, mas não da noite para o dia. Penso que uma grande equipe levaria dias para produzi-los. Por isso, falta lógica ao comentário do cientista Marcelo Gleiser, que diz acreditar que os fazendeiros das terras atingidas ganham muito dinheiro com os curiosos que lá vão ver os desenhos. Ora, o que eles fazem é estragar as colheitas alheias.
Carmizeth F. Marinho,
por e-mail

Possível abdução em Minas

Eu me sinto um pouco relutante em falar sobre minhas experiências e, intuitivamente, penso que ainda não estou preparada para lidar com elas. Tenho histórias de avistamentos durante toda a minha vida e sonhos de quarto grau quando morava na zona rural de Minas Gerais. Era uma segunda feira de Carnaval, mais ou menos às 19h00, e estava com meu marido e três filhos em um carro Brasília. Tivemos que parar na estrada sem pavimento de uma área desabitada quando uma luz apareceu ao longe e a mostrei ao meu marido. Ele pensou que fosse uma motocicleta, pois tinha uma estradinha de terra naquele lugar. Alguns minutos depois a luz já estava flutuando e veio ao nosso encontro em questão de segundos. Fechamos os vidros do carro e rezamos um Pai Nosso. Eu, no banco do passageiro, mantinha a janela aberta, pois não tive medo, e olhava diretamente para aquela imensa luz branco-azulada, assombrosa e emitindo um barulho como de um motor. Aquilo se aproximou mais e mais, até nos envolver por completo, como se nós e o carro mergulhássemos nela. Bem, depois de ver tudo sumindo dentro daquela luz, perdi a noção de tempo e de espaço. Lembro-me apenas da luz diminuindo e se afastando, até desaparecer no horizonte. Meu marido agiu como se nada tivesse acontecido, sem qualquer espanto em seu rosto. Ele estava estranho, calado. Quando me dei conta do tempo, vi que se passaram várias horas para as quais não tenho explicação.
Aurora Andures,
por e-mail

Espiritismo e Ufologia

Gostaria de chamar a atenção da Equipe UFO para o movimento espírita brasileiro e para o espiritismo em si. Para nós, praticantes desta disciplina, Deus é a origem de tudo, de nós e de milhões de planetas habitados por seres mais avançados, mas com diferentes estágios de desenvolvimento espiritual, moral e intelectual. O que estamos vendo em nossos céus nada mais é do que a visita desses irmãos cósmicos, que vêm de orbes distantes acompanhar nossa civilização. Segundo relatos dos espíritos, a Terra estaria em um nível baixíssimo de espiritualidade no contexto das civilizações planetárias, sendo apenas um minúsculo ponto no universo, aonde espíritos viriam para passar por provações e expiações. Sugiro que vocês façam uma matéria expondo os pontos que existem em comum entre os espíritas e os ufólogos.
Sérgio Teixeira,
por e-mail

Experiências no Paraná

Moro na cidade de Jaguapitã, interior do Paraná, e escrevo para descrever meus avistamentos de UFOs, assunto em que sempre acreditei, mas pelo qual nunca me interessei muito. De uns anos para cá, no entanto, isso mudou repentinamente, depois de eu ter visto objetos por três vezes. Meu primeiro avistamento foi inesperado e aconteceu de noite, quando eu estava sentado à porta da sala pensativo e vi de longe alguma coisa se movendo meio baixo no céu. Aquilo acabou passando por cima de mim e da minha casa, indo embora tranquilamente. A segunda observação se parece muito com a primeira — e talvez até seja do mesmo objeto. Este novo caso ocorreu de madrugada, mais ou menos às 04h30. Uma luz branca enorme e intensa, cujo formato não dava para ver, passou sobre uma árvore sem fazer barulho. Fiquei admirado ao ver aquela luz imensa passar rapidamente pelo céu. E meu terceiro avistamento foi de um artefato discoide clássico. Este fato aconteceu no final de uma tarde, quando, pela janela de casa, vi algo parado no céu. O disco tinha cor cinza chumbo e brilhava um pouco. Espero ter contribuído com as pesquisas da Equipe UFO.
Felipe Ricardo,
Jaguapitã (PR)

Experiências dos leitores

Gostaria de relatar algo que avistei junto com minha mãe em novembro de 2007, a partir do quintal da casa onde resido. Era em torno de 15h30 e surgiu um UFO ali, em plena luz do dia, metálico e parecendo ser de inox escovado. Posso dizer que era grande e tinha uma esfera no meio. Ao redor havia algo parecido com três pirâmides que formavam uma capa. Quando chegou em um ponto onde ficou bem visível, deu uma balançada, como que querendo que eu o visse, e daí mudou de direção e voou tão rapidamente que logo sumiu. Sempre quis fazer esse relato para alguém da área de pesquisa.
Liliana Spezia,
Lajeado (RS)

Moro na Zona Leste de São Paulo, no bairro Tatuapé, e por volta das 00h30 de 30 para 31 de janeiro passado acordei com a estranha sensação de que alguém estava em minha janela, que, com o calor, estava aberta. Resolvi levantar e olhar o céu. Era uma noite bem estrelada e aviões que decolam do Aeroporto de Guarulhos passavam bem por cima da minha casa. Foi então que notei uma estranha cor avermelhada em dois objetos se movimentando não muito rapidamente, mas o suficiente para perceber seu trajeto entre as estrelas. Observei aquilo durante uns 10 ou 15 minutos e depois as luzes dos artefatos foram se apagando — acho que pela distância que se encontravam.
José Carlos Silva,
São Paulo (SP)

Sou funcionário públicomunicipal e instrutor especialistaem gestão e segurança no trânsito, e gostaria de compartilhar uma história que acho que pode acrescentar algo à Ufologia Brasileira. Não me recordo da data exata, mas era um domingo de 1998, entre 20h00 e 21h00. Eu estava no sofá da sala de casa e tive o que acho ser um contato telepático, algo que me“disse” que eu deveria sair de casa, pois avistaria um UFO. Fiz isso de forma instantânea e logo nos primeiros passos para aárea da casa que ficava de frente para a salavisualizei não apenas um, mas dois objetosvoadores, aparentemente próximos um do outro.Um deles era uma luzforte que subiu rapidamente até certa altitude, sumindo no infinito. O outro tinha quatro cores e se deslocou em linha reta até sumir nohorizonte. Este era aparentemente redondoe suas cores se intercalavam,lembrando um pouco aquelesequipamentos de discoteca. Na hora do avistamento chamei meus pais e eles também viram aquilo. Só que a história não acaba por aqui. Continuei olhando para océu, que estavamuito claro e sem nuvens, e percebi que diversos pequenos pontos luminosos se deslocavam disfarçadamente entre as estrelas, coisa que tive que prestar muita atenção para poder perceber. Eram muitas luzes e em diversas partesdo céu, em um avistamento que durou vários minutos.
Ivan de Lima,
Cajati (SP)

Tenho 43 anos e há tempo venho guardando o que ocorreu comigo, pois quando tento falar com alguém sobre o assunto, sou chamado de maluco. Trata-se de um incidente que ocorreu em uma praia de Itanhaém, no litoral de São Paulo, em uma região de dunas. Era por volta de 19h00 de uma noite com poucas nuvens quando eu e um amigo vimos surgir do nada bem em cima de nós uma luz verde muito forte que lembrava neon, pois deixou a nossa pele, a areia e até a água do mar com um tom esverdeado. Cheguei a pensar, pelo tamanho, que pudesse ser a Lua, já que começou a se aproximar por entre as nuvens e parecia ser algo esférico. Aquilo nos deixou confusos e vivemos uma sensação difícil de explicar. Apesar de hoje evangélico, passei a olhar para o céu à noite.
Rogerio Bernardo Viudes,
por e-mail

Revista UFO

Parabéns pela Revista UFO pela sua dedicação por todos estes anos. Acompanho a publicação desde a década de 90 e me surpreendo com sua resistência, passando incólume por grandes problemas no país e no mundo.
Everton Almada Júnior,
São Paulo (SP)

Quero parabenizar a Revista UFO por sempre manter acesa a chama da boa pesquisa ufológica em nosso país. Sem a publicação, não teríamos acesso a informações tão valiosas quanto as que são publicadas todos os meses.
Márcia Castilho Campos,
por e-mail

Adoro a Revista UFO, mas a revista tem dois grandes problemas. O primeiro é seu elevado preço, quase proibitivo. E, o segundo, é não ter uma versão digital para iPad ou Android.
Roberto Carlos A. Malpaso,
Guarulhos (SP)

Foto de possível UFO em Minas Gerais

crédito: Cortesia Marco Carva lho

Sou natural de Liberdade, no interior de Minas Gerais, e gostaria de comentar algo que lá se passou. Minha mãe, com 71 anos e ainda lá residente, fez umas fotos da cidade com seu celular e depois, quando minha irmã as baixou para o computador, notou algo estranho. Ao se deparar com a foto de um arco-íris, minha irmã notou que havia um objeto estranho na imagem e me encaminhou para eu analisar, pois sou designer gráfico e trabalho muito com manipulação de imagens. Assim que recebi a foto, fiquei impressionado. Minha mãe não sabe dizer precisamente a data em que a fez, mas acha que foi no primeiro semestre do ano passado. Ela não notou o objeto que aparece no céu, que tem a forma de um dirigível. A cidade tem apenas seis mil habitantes e ninguém viu nada. Ora, se fosse mesmo um dirigível, minha mãe e muita gente teria visto. Estou enviando a foto à Revista UFO para análises.
Marco Carvalho,

Uberlândia (MG)


Grande Ofertas Exclusivas da Revista UFO