Edição 193

Velhos casos, novas perguntas

01 de Outubro de 2012

PONTO DE ENCONTRO

Onde os Leitores da UFO se Manifestam

I Ufoz 2012

Fico muito feliz em ver a Revista UFO e toda a Comunidade Ufológica Brasileira se empenharem na realização do IV Fórum Mundial de Ufologia, o I UFOZ 2012, e mais ainda porque ele ocorrerá na belíssima Foz do Iguaçu — local privilegiado em todos os sentidos. Torço para que seja um excelente evento e lamento que não possa participar, por residir no Canadá.
Caroline S. Stanton,
Toronto, Canadá

Tenho certeza de que o IV Fórum Mundial de Ufologia, o I UFOZ 2012, vai ser um enorme sucesso. Fiquei muito impressionado com a beleza do anúncio do evento publicado na edição UFO 192 e fui até o site [Endereço: www.ufoz.com.br], confirmando que será um congresso de altíssimo nível, com uma estupenda lista de conferencistas. Quero parabenizar a Revista UFO por esta iniciativa e estarei lá para dar meu apoio.
Lindeman A. Santos,
Londrina (PR)

Finalmente! O Brasil estava precisando figurar entre os países em que se realizam eventos grandiosos de Ufologia, e agora isso vai ocorrer aqui com o IV Fórum Mundial de Ufologia, em dezembro, em Foz do Iguaçu. Como participante da primeira edição do evento, em Brasília, em 1997, não poderia deixar de comparecer e de prestigiar este novo momento da Ufologia Brasileira. Parabéns pela decisão e desejo muito sucesso ao I UFOZ 2012.
Mário Senhorine,
por e-mail

UFO 192

Cheguei à banca de revistas do meu bairro e vi exposta esta capa chamativa, com este menininho simpático meio ser humano, meio serzinho de uma galáxia distante. Não conhecia a Revista UFO e nem tinha interesse particular por discos voadores ou ETs. Mas a capa e os artigos da edição me encantaram, tanto que agora sou mais uma leitora de seu trabalho.
Marlene Melo Coimbra,
Contagem (MG)

Donald Schmitt

Gostei muito da entrevista com o ufólogo e escritor Donald Schmitt, na seção Diálogo Aberto de UFO 192, Expedição ao Local da Queda em Roswell Busca Encontrar Novos Fragmentos da Nave. Fiquei agradavelmente surpreso ao ver que os ufólogos norte-americanos, mesmo passadas tantas décadas do Caso Roswell, não desistem de tentar saber mais sobre o assunto — a ponto de Schmitt organizar mais uma expedição de pesquisa ao local do acidente. Vejam a diferença do como são as coisas lá e aqui. No Brasil, além de o Caso Varginha ter sido praticamente abandonado, seu próprio descobridor e principal investigador fez o papelão de se desdizer em rede nacional de televisão, contrariando tudo aquilo que nos levou a crer.
Sebastião Aires,
por e-mail

Muito boa a entrevista com Donald Schmitt em UFO 192, Expedição ao Local da Queda em Roswell Busca Encontrar Novos Fragmentos da Nave. Já se sabia de muito do que ele nos descreveu sobre o Caso Roswell, mas alguns detalhes foram novidade — pelo menos para mim. Por exemplo, que os fragmentos encontrados no local da queda eram de variados tipos e que os mais numerosos eram aqueles que se pareciam com folhas metálicas indestrutíveis, embora extremamente leves e maleáveis. Sugiro à publicação fazer novas entrevistas com personagens como Schmitt e outros, para que nos revelem detalhes de importantes casos ufológicos históricos.
Manoel Nunes Campos,
Curitiba (PR)

Donald Schmitt foi muito claro em sua entrevista para a seção Diálogo Aberto de UFO 192, Expedição ao Local da Queda em Roswell Busca Encontrar Novos Fragmentos da Nave. Logo no início do texto, o fato de o entrevistado ter sido apoiado por J. Allen Hynek, do Center for UFO Studies (CUFOS) — grupo do qual Schmitt foi diretor de pesquisas —, já é uma grande referência. Também agradeço a ele por detalhar como pretende realizar sua nova expedição ao local da queda do disco voador em Roswell, e pedir-lhe que nos mantenha informado de seus resultados. Quero também parabenizar o entrevistador e ufólogo Thiago L. Ticchetti, o mais novo coeditor da Revista UFO, por seu exímio trabalho.
Áureo Martins Júnior,
por e-mail

Somos todos ETs?

Além da belíssima capa da edição UFO 192, de setembro, me surpreendi de maneira muito agradável ao ler o texto Nossa Origem Extraterrestre, do iniciante na Revista UFO Hugo Lapa, cujo trabalho em São Paulo eu já conhecia. Achei o texto extremamente claro e articulado, não deixando dúvidas sobre um tema tão controverso. Sou estudioso da Terapia de Vidas Passadas (TVP) e sei que ela oferece, com qualidade, por meio da recordação de encarnações anteriores, sanar bloqueios mentais, sofrimentos, fobias, dores e outros sintomas da mente humana. E agora vimos que ela também pode revelar que muitos de nós já tivemos existências em outros orbes. Sensacional! Parabéns ao Hugo Lapa e à Equipe UFO pelo trabalho.
Juarez Stolte Nunes,
por e-mail

Se ainda havia alguma dúvida de que um método tão sério como a Terapia de Vidas Passadas (TVP) pode revelar nossas existências pregressas neste e noutros planetas, acho que o texto de Hugo Lapa Nossa Origem Extraterrestre, na edição UFO 192, deixou tudo bastante claro. O autor, que aparenta ser profundo conhecedor do tema, mostra que há um método seguro a ser usado na exploração de nossas outras existências em planetas que não a Terra.
Rogério A. A. Bill,
São Paulo (SP)

Fico satisfeito em ver a mudança de mentalidade das pessoas quanto à Terapia de Vidas Passadas (TVP) e constatar que, enquanto alguns terapeutas permaneceram incrédulos sobre os dados colhidos com a técnica, muitos já estão no caminho inverso — fizeram um exame das ocorrências e passaram a considerar o procedimento com seriedade. Mas chegar a usar a TVP para legitimar eventuais existências pregressas em outros planetas me parece um caminho ainda bastante longo a se percorrer — é necessária muita prudência neste processo. Não sou cético, mas acho que os saltos informacionais devem ser bem dados, com firmeza, lembrando a máxima de que “afirmações extraordinárias requerem provas igualmente extraordinárias”.
Josué Monteiro Ullmann,
Brusque (SC)

No quadro Evidências da Reencarnação, apresentado no texto Nossa Origem Extraterrestre, de Hugo Lapa, identifiquei várias situações que ocorrem comigo e que me levaram, já há bastante tempo, a acreditar que consigo compreender minhas reencarnações. Entre elas estão os sonhos recorrentes, que o autor explica que são vestígios de vidas pretéritas que brotam à consciência quando a mente objetiva se retrai, e afinidades e antipatias não explicadas, no caso de pessoas que mal se conhecem e podem ter simpatias ou antipatias mútuas e sem nenhuma causa aparente. Tenho uma simpatia enorme por minha prima e uma antipatia ainda maior por sua mãe, minha tia. Como ambas vivem em terrível atrito, acho que estão explicadas muitas coisas, no âmbito da TVP, como um processo cármico de resgate de ambas.
Marinez Garland Amaral,
por e-mail

Achei o texto Nossa Origem Extraterrestre, de UFO 192, um exagero. Senhores, praticar Ufologia é preciso para dar a conhecer à sociedade a realidade da presença alienígena na Terra, mas não é necessário chegar a tanto. Com todo respeito ao autor e estudioso Hugo Lapa, passou do ponto. Mas a capa, de Rafael Amorim, é esplendorosa.
Roger Kohler,
Porto Alegre (RS)

Só o método científico?

O consultor da Revista UFO Fábio Augusto Gomes foi extremamente feliz na seção Em Foco de UFO 192, Somente o Método Científico?, quando expõe que há outros meios de se conhecer a realidade ufológica. Diz ele, com propriedade, que, embora seja o principal método de investigação do mundo moderno, a ciência não é exclusiva. Em minha opinião, aliada à ciência também deve estar a espiritualidade, que, quando bem empregada — sem as mistificações baratas —, sempre dá bons resultados.
Mariângela Silveira Castro,
por e-mail

Concurso de Ufologia

Uma das formas de estimular o crescimento da Ufologia Brasileira é justamente o empregado pela Revista UFO, que lançou agora seu V Concurso Nacional de Ufologia. Esta é uma ótima iniciativa para descobrir novos talentos que possam contribuir com este fantástico trabalho que é revelar a presença alienígena na Terra. Tendo acompanhado a trajetória da UFO desde seu nascimento, ainda nos anos 80, vi quantos jovens talentosos foram descobertos e revelados pela publicação e hoje estão incorporados aos seus quadros, fazendo da revista o sucesso que ela é.
Plínio Couto da Silva,
Rio de Janeiro (RJ)

Acho os Concursos Nacionais de Ufologia da Revista UFO uma ótima oportunidade para, descobrindo novos talentos, se depurar a área. Há muitos ufólogos caducos e desatualizados, que só atrapalham a verdadeira divulgação da presença alienígena na Terra ao emitirem, em entrevistas e programas diversos, noções ultrapassadas sobre nossos visitantes. Temos que renovar, precisamos de ar fresco.
Célia Quintana Gério,
por e-mail

Novidades da Videoteca UFO

Já adquiri e assisti, com satisfação, o pacote Extraterrestres no Passado II, com os 10 episódios da segunda temporada da fantástica série do History Channel. E gostaria de parabenizar a Equipe UFO por sua escolha de títulos para compor a maravilhosa coleção Videoteca UFO. Este pacote, mais do que qualquer outra fonte de informação, prova que estamos mesmo sendo visitados há milênios por outras espécies cósmicas.
Devanir Altamirando Santos,
Mongaguá (SP)

Adquiri assim que vi o anúncio do lançamento, em UFO 192, o pacote com os 10 episódios da segunda temporada de Extraterrestres no Passado II. O produto é de elevada qualidade e me chocou ver que terei que refazer muitos dos meus conceitos sobre a origem e desenvolvimento da vida na Terra. A série destrói muitos mitos e apresenta explicações surpreendentes para inúmeros fatos insólitos. Fiquei surpreso ao ver quantas são as evidências de que temos sempre sido visitados por ETs, desde nossos primórdios.
Joanira A. Coutinho,
Mantena (MG)

Excelente o pacote da segunda temporada da série Extraterrestres no Passado II, que acabo de assistir. A Equipe UFO está de parabéns por mais este lançamento, assim como os produtores da série, que fizeram um enorme serviço à cultura da humanidade. Pena, no entanto, que muitos ainda não queiram ver o óbvio: que somos vigiados por outras inteligências cósmicas desde nossa infância terrestre — e hoje mal passamos de adolescentes, que ainda necessitam de amparo.
Rudgero Aurélio Martinho,
por e-mail

Frente a Frente

Assisti ao debate entre os jornalistas, a astrônoma e o editor da Revista UFO A. J. Gevaerd na TVE do Rio Grande do Sul, cuja exibição havia sido cancelada, mas acabou liberada, conforme artigo na Mensagem do Editor de UFO 192, A Força da Ufologia Brasileira se Faz Presente nas Redes Sociais. Confesso que fiquei indignado com a postura assumida pela emissora, a princípio. Mas, quando foi definida sua exibição e ao assisti-la, decidi que não poderia deixar de registrar que foi uma das melhores entrevistas que já vi. Gevaerd se saiu incrivelmente bem nas colocações e nas respostas às perguntas feitas pela bancada de entrevistadores, sem titubear e sem deixar qualquer dúvida. Apesar de não ser ufólogo, apenas simpatizante do assunto, acredito na Ufologia e penso que somos vigiados a todo instante por esses “irmãos mais velhos”.
Giovani Souza,
Joinville (SC)

Quanto ao debate com o editor da Revista UFO censurado pela TVE do Rio Grande do Sul, vejo que ainda existe medo do que as pessoas não entendem ou nem querem entender, como a Ufologia. Por isso a emissora não quis veicular o programa [A Força da Ufologia Brasileira se Faz Presente nas Redes Sociais]. A desconfiança e o medo do tema tratado pelo editor estavam na face de cada um dos presentes naquela mesa — e a astrônoma Miriane Pastorizi, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), não conseguiu argumentar o suficiente para desqualificar os relatos técnicos de Gevaerd. Minha conclusão é de que censuraram o programa Frente a Frente porque a apresentação do tema pelo editor foi clara e convincente, e isso não era previsto.
Filippo Carvalho Gava,
por e-mail

Fiquei feliz com a exibição do Frente a Frente com A. J. Gevaerd. Quando soube da notícia anterior, a do cancelamento, enviei e-mail à TVE e até ao Governo do Rio Grande do Sul falando que o erro da emissora — que decidiu censurar o programa — deveria ser consertado. Argumentei que a TVE, como empresa estatal, estava fazendo mal uso do dinheiro público praticando a discriminação da presença alienígena na Terra, o que poderia ter repercussões cíveis e criminais. Mas, ao final, o debate saiu e mais uma vez fico feliz por termos confirmado o poder do povo e da democracia.
Adilson Luiz Hintz,
Curitiba (PR)

O programa Frente a Frente da TVE gaúcha com o ufólogo e editor da Revista UFO A. J. Gevaerd deixou transparecer uma pergunta muito importante: por que a ciência oficial não se engaja de uma vez por todas na pesquisa ufológica? Não há mais como acobertar a presença extraterrestre em nosso planeta e é necessário que os governos e instituições acadêmicas entrem efetivamente na questão.
Jair Teston,
Porto Alegre (RS)

Fiquei indignada quando soube que o debate entre o editor da Revista UFO e jornalistas gaúchos havia sido censurado. Não porque foi com o editor da UFO, apesar de eu ser leitor da revista, mas por causa do ato repugnante de censura, que não tem mais espaço no país. Mas a TVE gaúcha teve que ceder e, ao mostrar o programa, entendemos muito bem pela atuação daquela astrônoma, a razão da atitude.
Norma A. Borborema,
por e-mail

Portal UFO

Sempre respeitei muito a Revista UFO, compro as edições que acho mais interessantes e gosto muito quando as matérias são relacionadas com fatos ocorridos no Brasil. Mas me decepcionei com a seção Foto dos Leitores do site da publicação, o Portal da Ufologia Brasileira [ufo.com.br]. Acho que poderia existir uma seleção das fotos que vocês postam lá ou deveriam excluir aquela área, pois as imagens ali expostas são no mínimo ridículas. Um pássaro passando na frente da Torre Eiffel e um avião supersônico cruzando o céu?
Carol Telles,
por e-mail

Tenho como hábito diário acessar o site da UFO, o Portal da Ufologia Brasileira [ufo.com.br], para ver o que há de novo. E sempre me surpreendo com a quantidade e a qualidade das notícias veiculadas, que formam um verdadeiro registro da história da Ufologia Brasileira. Quero parabenizar a Equipe UFO por manter seu site com tão elevado nível.
Therezinha Junot,
São Paulo (SP)

Ufologia no Mato Grosso

Muito interessante o artigo Ufoturismo Revela Mato Grosso Como Destino Preferido, do consultor da Revista UFO Ataíde Ferreira Silva Neto. Linda a exposição das riquezas de meu estado e grandiosas as fotos que revelam natureza tão exuberante. Em especial, gostei muito de rever histórias da Chapada dos Guimarães e da Serra do Roncador, lugares que frequento, há muito conhecidas como tendo origem ufológica. Também gostei que o autor tenha reverenciado Valdon Varjão, que conseguiu implantar seu discoporto e reforçar a economia de Barra do Garças através do turismo. De louco, como consta na legenda de sua foto, ele não tinha nada — Varjão era um verdadeiro e autêntico visionário.
Maria Aparecida A. Sá,
Cuiabá (MT)

Caso Roswell

Resolvi enviar este e-mail porque nas duas últimas edições da Revista UFO vi uma coisa que não gostei nem um pouco. Na edição 190, de julho, saiu uma entrevista com o filho do falecido coronel Jesse Marcel, em que ele garante que o Caso Roswell é verdadeiro e que até chegou a tocar nos fragmentos do UFO acidentado [Seção Diálogo Aberto, Um Governo Paralelo Explora a Tecnologia Alienígena Obtida na Queda de Roswell]. Já na edição 191, de agosto, a UFO publicou outra entrevista, agora com o ex-diretor da Mutual UFO Network (MUFON) James Carrion, em que ele diz que o Caso Roswell é uma farsa [Seção Diálogo Aberto, Agências Internacionais de Inteligência Manipulam a Realidade Ufológica]. Bem, eu, sinceramente, não gosto da publicação de pontos de vista antagônicos, como neste caso, porque confunde a cabeça do leitor e ele acaba se perguntando: em quem eu vou acreditar, no entrevistado que diz que o Caso Roswell é verdadeiro ou no que diz que ele é falso? Inclusive, Carrion até critica ufólogos bem conhecidos da Revista UFO, como Jaime Maussán e Stanton Friedman [Correspondentes internacionais da UFO no México e Canadá]. Isso pode levar o leitor até a não se interessar mais pelo tema, porque os ufólogos não conseguem chegar a um acordo sobre esse caso.
Enio Augusto Araújo,
por e-mail

Relatos dos leitores

Moro atualmente em Além Paraíba, município de aproximadamente 30 mil habitantes onde está a empresa Furnas, em cuja construção trabalhei. Durante aquela época, apareciam sondas ufológicas no canteiro de obras, quando logo em seguida a energia era cortada repentinamente. Em outra ocasião, então na chácara de meus avós, na localidade de Angostura, também pude observar por pouquíssimos segundos um objeto voador não identificado sobrevoando a área — aquilo foi extremamente bizarro e custei a acreditar no que estava acontecendo. Esperei quase 18 anos por uma nova oportunidade e, em 26 de junho passado, por volta das 17h55, um artefato sobrevoou a chácara velozmente e desacelerou ao se aproximar do local onde fica o curral. Um brilho muito intenso emanava do tal aparelho e suas cores variavam do dourado para o branco.
Gustavo Rocha,
Além Paraíba (MG)

Eram 23h00 de 23 de outubro de 1995 quando eu, minha amiga Irene Escudeiro e aproximadamente umas 10 pessoas estávamos no quintal de uma propriedade. De repente, observamos um objeto muito estranho que refletia luz bem forte, nas cores azul, vermelho e amarelo. Em volta dele havia uma luminosidade do tipo mercúrio, parecida com as lâmpadas dos postes de rua, só que muito mais potente. O artefato se movia rapidamente, sempre na mesma direção, e tínhamos a impressão que se aproximava, mas logo depois se afastava. Seu movimento era giratório, constante, de um lado para o outro e todas as pessoas ali presentes testemunharam o fato. Ficamos observando aquilo por umas três horas, quando então repentinamente o UFO desapareceu.
Donizette Oliveira,
Lins (SP)

Ver UFOs é uma coisa banal para mim, que já tive várias oportunidades. A última ocorrência foi em julho, em um entardecer, quando um disco voador quase passou sobre minha cabeça em Presidente Prudente (SP). De lá para cá só ando com máquina fotográfica. Caso eles queiram surgir e me levar, eu topo.
Anônimo,
por e-mail

TERMÔMETRO DA EDIÇÃO ANTERIOR

A Ufologia cresce a cada dia, com os governos deixando cair os véus que antes usavam para esconder do povo a realidade ufológica. Isso é muito positivo para a humanidade, que vai saber logo que não é a única do universo, mas uma de infinitas espécies.
Marilu Godói,
Sorocaba (SP)

A Ufologia, que se faz passar por ciência, nada mais é do que uma seita de novos aficcionados por algo que mistura ficção científica, fantasia e pseudorreligião. Quanto mais cedo as pessoas acordarem para esta realidade, melhor para todos.
Bete Gomes,
por e-mail