CAPA

A desconcertante casuística polonesa

Revista UFO | Edição 259 | 10 de Julho de 2018

SHARE

MUNDO UFOLÓGICO

Fatos da Ufologia Brasileira e Mundial

Uyrangê Hollanda finalmente recebe homenagem em Colares

FONTE: ARQUIVO UFO

O então capitão da Força Aérea Brasileira (FAB) Uyrangê Hollanda [Acima] foi o escolhido, no segundo semestre de 1977, para chefiar uma operação militar secreta conduzida pelo I Comando Aéreo Regional (I COMAR), de Belém. Foi a conhecida Operação Prato, que teve o objetivo de investigar uma alarmante sequência de eventos que estavam acontecendo no Pará, com epicentro na ilha de Colares — a população, aterrorizada, descrevia ataques do que ficou conhecido como chupa-chupa e as pessoas que não fugiram da região se reuniam à noite, com armas e fogos de artifício, em uma tentativa de espantar os intrusos.

A missão militar durou pouco mais de três meses e levou seus integrantes militares a espantosos encontros com UFOs e seus tripulantes na selva. Vinte anos depois, em 1997, já como coronel reformado, Hollanda concedeu uma histórica entrevista à Revista UFO, publicada nas edições 54 e 55 e republicada na 101, narrando os extraordinários fatos de que ele e seus comandados foram protagonistas. Colares, que nos últimos anos tem abraçado a onda ufológica que a tornou famosa, realizou uma merecida homenagem ao comandante da Operação Prato, graças a um decreto assinado pelo prefeito Francisco Pedro Aranha de Oliveira. Uma via nas proximidades da Praia do Machadinho, onde os militares realizavam suas vigílias, foi batizada como Travessa Capitão Uyrangê Hollanda. A campanha UFOs: Liberdade de Informação Já, da UFO, já conseguiu a desclassificação de 400 páginas de documentos da operação. Estima-se que outras 2.000 aguardem a liberação pela Aeronáutica, sendo que os ufólogos brasileiros continuam sua luta por obtê-las.

Vídeo Tic-Tac do Pentágono continua a repercutir

FONTE: USAF

Um quadro do vídeo do UFO Tic-Tac, que surpreendeu militares norte-americanos

O caso do programa de investigação ufológica do Pentágono, que envolve o vídeo de um UFO que foi apelidado de Tic-Tac por seu incomum comportamento, continua revelando novos detalhes. O incidente aconteceu no final de 2004 e envolveu o grupo de batalha da Marinha norte-americana liderado pelo porta-aviões USS Nimitz. As descrições apontam que o objeto, de 14 m de diâmetro, desceu de uma altitude de 18.300 m para somente 45 m em instantes — o intruso era detectado muito precariamente pelos sensores dos navios de guerra, incluindo o USS Princeton, cruzador portador de mísseis da classe Ticonderoga, dotado dos mais sofisticados equipamentos do tipo.

Tentativa de interceptação do disco voador é infrutífera

Caças F-18 do USS Nimitz foram enviados para interceptar o UFO, e a nova informação surgida indica que um dos pilotos observou uma perturbação na superfície do oceano, com ondas de 50 a 100 m de tamanho, como se um grande objeto tivesse ali submergido rapidamente — a água teria ficado coberta de espuma em seguida, mas logo a superfície voltou a ficar tranquila. Um submarino nas redondezas nada detectou, mas um documento recentemente liberado aponta para a possibilidade de outro UFO, ainda maior, ter sido o responsável pelo avistamento, e não foi percebido por possuir algum tipo de camuflagem, ficando indetectável até visualmente. O relatório ainda é mantido secreto, mas vazou e aponta ainda que nenhum dos objetos não identificados pertence aos Estados Unidos ou a qualquer nação.

Documentário sobre UFOs é destaque no Now

FONTE: CANAL NOSTALGIA

O youtuber Felipe Castanhari trata de Ufologia em Onde Estão Todos os Alienígenas?

O youtuber Felipe Castanhari tem feito enorme sucesso na plataforma online, com mais de 10 milhões de seguidores que acompanham seu Canal Nostalgia. Fora dela ele é o apresentador do Guia Politicamente Incorreto, série do canal History, e lançou em junho sua segunda produção fora do YouTube, o documentário Onde Estão Todos os Alienígenas? Como padrão nos vídeos do Nostalgia voltados à ciência, Castanhari faz uma apresentação de forma simples, mas envolvente, e com informações precisas, trazendo dados atuais a respeito do tema. O especial contou com a participação do conhecido historiador Leandro Karnal e do astrofísico Gustavo Rojas.

Debate sobre como os aliens são retratados na ficção

Outro participante foi o biólogo Fábio Pirula, que é igualmente figura constante na plataforma online com o Canal do Pirula, no qual fala não somente de biologia como de várias ciências. O documentário também teve a participação do consultor da Revista UFO Renato A. Azevedo. Cada um dos especialistas contemplou um aspecto da busca da humanidade pela vida fora de nosso planeta, discorrendo sobre os aspectos filosóficos, biológicos, astronômicos, ufológicos e até mesmo sobre como os alienígenas são retratados na ficção. Além do próprio Castanhari, a produção contou com a participação nos bastidores do jornalista Ricardo Rigotti e pode ser assistida pelos assinantes da operadora Net ou na plataforma digital do Now. Basta procurar a programação.

Curiosity encontra moléculas orgânicas complexas em Marte

Ainda não foi desta vez que foi confirmada a existência de vida em Marte, porém a descoberta de compostos orgânicos realizada pelo rover Curiosity, da Agência Espacial Norte-Americana (NASA), foi considerada um grande passo nessa direção. Jennifer Eigenbrode, autora de um dos artigos a respeito, que foram publicados na Science, afirmou: “Esses resultados não nos dão evidência da presença de vida, mas existe a possibilidade de que esses elementos orgânicos sejam provenientes de seres vivos, nós ainda não sabemos”. Ela trabalha na Divisão de Exploração do Sistema Solar do Centro Espacial Goddard da NASA. Entre os compostos encontrados estão tiofeno, metanotiol e sulfeto de dimetila, descobertos em amostras que datam de aproximadamente 3,5 bilhões de anos — o achado confirma que Marte possuiu todos os ingredientes para o surgimento e evolução da vida, e que as evidências a esse respeito devem ser procuradas em locais onde existiu água líquida, como a Cratera Gale, onde se encontra o Curiosity.

Alpha Centauri mostra boas perspectivas

Esse sistema estelar é o mais próximo do nosso, a somente 4,3 anos-luz de distância, e um objetivo evidente para pesquisa astronômica. Futuramente, o lançamento de missões espaciais visará chegar até ele. A descoberta de Proxima b, planeta situado na região habitável de Proxima Centauri, foi considerada histórica, porém hoje se sabe que nem tudo é favorável à existência de vida nesse mundo, como descobriu mais recentemente o telescópio espacial Chandra. Proxima b é uma anã vermelha bastante ativa, que por vezes libera flares de raios X.

Como circunda a estrela em uma órbita mais próxima que Mercúrio está do Sol, recebe cerca de 500 vezes mais raios X do que recebemos de nossa estrela. Porém, as perspectivas se mostram animadoras com relação às duas estrelas maiores do sistema. Alpha Centauri A e B são amarelas, a primeira um pouco maior que o Sol e a segunda um pouco menor. O Chandra descobriu que planetas ainda não descobertos orbitando essas estrelas recebem menos raios X que os mundos do Sistema Solar interior.

 


Grande Ofertas Exclusivas da Revista UFO