Edição 277
DESTAQUE

Vigiados por aliens no espaço e na Lua

Por
22 de Feb de 2020
Ilustração artística baseada em fotos de um objeto cilíndrico registrado próximo à Gemini 11. A nave da foto é a Gemini 10
Créditos: Rafael Amorim

Por décadas, ufólogos de todo o planeta buscaram informações e provas sobre avistamentos de UFOs durante missões espaciais dos Estados Unidos. Apesar de conseguirem algumas poucas fotografias, declarações de astronautas e curtos trechos de diálogos travados durante estes encontros espaciais, eles mantiveram a esperança de um dia poderem conhecer mais profundamente estes casos. Eis que, após um longo tempo, o trabalho e a paciência dos ufólogos foram recompensados graças à iniciativa de agências independentes que tiveram acesso aos negativos originais de fotos dos programas Mercury, Gemini e Apollo.

São dezenas de milhares de fotografias escaneadas em altíssima resolução e disponibilizadas gratuitamente em sites na internet, como o Flickr Apollo Archives e o Tothemoon [Veja links no box], lançados no segundo semestre de 2015. Além destes dois acervos, a Agência Espacial Norte-Americana (NASA) desclassificou transcrições completas das comunicações travadas em missões de três programas espaciais, disponibilizando-os no site do Johnson Space Center. Agora, tais acervos nos permitem conhecer centenas de fatos ufológicos ocorridos no espaço, que antes eram omitidos pela agência espacial, sendo também desconhecidos da Comunidade Ufológica Mundial.

Os primeiros registros

O programa Mercury foi o primeiro projeto espacial tripulado da NASA, que tinha por objetivo garantir a superioridade espacial norte-americana em relação à então União Soviética — cada cápsula tinha capacidade para realizar manobras em órbita da Terra, tendo a bordo apenas um astronauta. Desde a década de 60 sabe-se que astronautas deste programa tiveram avistamentos de UFOs no espaço, fato confirmado por seus próprios membros e por duas fotografias de um estranho artefato alongado, obtidas durante a missão Mercury 7, que acabaram vazando para a imprensa.

Agora, com a divulgação das fotos da missão, é possível conhecer tais fatos e muitos outros. No acervo fotográfico disponível no site Tothemoon encontram-se as fotografias obtidas ao longo do programa Mercury e várias delas registram UFOs. Estas imagens são bem interessantes, pois mostram que as inteligências por trás destas naves de fato acompanham nossos passos na exploração espacial. Já nas primeiras missões houve registros de UFOs, como mostra a foto MR-2-13009-176, da Mercury 2. Na foto observa-se a presença de dois objetos luminosos de cor esverdeada acompanhando a cápsula espacial.

Em outra fotografia, esta da missão Mercury 3, observa-se uma marcação à caneta com a identificação da foto e um sinal apontando um objeto luminoso alongado e de cor azulada posicionado em uma altitude superior ao da cápsula, como se estivesse monitorando o processo de lançamento espacial. Isso sugere que o próprio técnico da NASA que revelou as imagens impressionou-se com a presença de tal artefato. E embora estas fotografias já chamassem a atenção pela sua qualidade e nitidez, outras ainda mais impressionantes foram obtidas mais tarde. É o caso de uma imagem obtida na missão Mercury 4, em julho de 1961. A foto MA-4-4713-075 registra a superfície da Terra e nela pode-se ver nitidamente, contra o azul do Oceano Pacífico, um objeto sólido de formato circular. Inclusive, os padrões de luz e sombra das nuvens e do objeto são coincidentes, confirmando a veracidade da imagem.

TODO O CONTEÚDO DESTA EDIÇÃO ESTARÁ DISPONÍVEL NO SITE 60 DIAS APÓS A MESMA SER RECOLHIDA DAS BANCAS

UFOs no espaço até a Lua

Já está no ar a Edição 277 da Revista UFO. Aproveite!

Feb de 2020

Fomos visitados