ARTIGO

Sombras no mar: objetos submarinos não identificados em todo o mundo

Por Scott Corrales | Edição 262 | 12 de Novembro de 2018

NÃO HÁ
Créditos: LIELZO BATISTA

Sombras no mar: objetos submarinos não identificados em todo o mundo

Em seu clássico 20.000 Léguas Submarinas, de 1841, o genial Julio Verne conta a história de um espantoso submarino chamado Náutilus, comandado pelo anti-herói capitão Nemo, cuja missão principal era afundar navios das marinhas de diferentes países. Após destruir uma embarcação de guerra norte-americana, o mítico capitão teria resgatado da água três náufragos, o professor Arronax, seu servo Conselho e o arpoador Ned Land, os quais serão levados à viagem que dá nome ao livro.

Verne é muitas vezes tido como profeta da tecnologia, um iluminado cujos escritos visualizaram o programa espacial e todo tipo de invenções. Mas talvez o seu maior sucesso tenha sido o de descrever submarinos misteriosos que representam, se não uma ameaça, uma fonte de preocupação para as marinhas do mundo. Entre os relatos sobre esses misteriosos veículos que surgem e desaparecem a velocidades espantosas, há um pouco de tudo.

Os oceanos são lugares desconhecidos de tantas formas diferentes que qualquer coisa sobre eles sempre vem carregada de muita incerteza. Basta lembrarmos que durante séculos marinheiros de todas as origens falaram sobre ondas gigantes que engoliam navios inteiros, e isso sempre foi tido como uma lenda do mar, até que ua a suposta lenda foi flagrada em vídeo, deixou de ser mito e passou a ser estudada pela ciência, em busca de explicações para sua formação. Neste artigo conheceremos mais sobre os fascinantes mistérios dos oceanos.

Submarinos polares

No início de nosso século, o jornal canadense Ottawa Citizen [Cidadão de Ottawa] publicou um artigo assinado por David Pugliese sobre objetos estranhos que pareciam patrulhar as águas geladas do norte do Canadá — sua presença ali, juntamente com o desaparecimento da fauna marinha, alarmou os militares daquele país da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN). Todos os avistamentos foram acompanhados de um desaparecimento da fauna. As águas que circundam a Ilha de Baffin, por exemplo, cobertas de gelo e habitadas apenas por algumas tribos esquimós e por cientistas, foram rondadas por objetos estranhos que se moviam sobre a água ou logo abaixo da superfície.

Em setembro de 2001, de acordo com o artigo do Ottawa Citizen, caçadores da etnia inuíte e membros dos rangers canadenses [Patrulheiros] — uma força cujos membros são recrutados entre os aborígenes nativos —, relataram o que acreditavam ser um submarino, rondando os territórios árticos do Canadá. A maioria dos avistamentos ocorreu em agosto e setembro de 2001, perto de Pond Inlet, na Ilha de Baffin, onde testemunhas alegaram ter visto, em 11 ocasiões distintas, ondas descomunais e objetos estranhos na água. A fauna marinha desapareceu da região.

TODO O CONTEÚDO DESTA EDIÇÃO ESTARÁ DISPONÍVEL NO SITE 60 DIAS APÓS A MESMA SER RECOLHIDA DAS BANCAS

Para continuar lendo este artigo, você deve se cadastrar no Portal UFO. O cadastramento é gratuito e dá acesso a todo o conteúdo do site.

Login

Compartilhe esse artigo:

Sobre o Autor

Scott Corrales

É ufólogo norte-americano e dono da lista de debates Inexplicata.

Comentários