ARTIGO

Quando militares abduzem pessoas levadas por ETs

Por Malcolm Robinson | Edição 268 | 15 de Maio de 2019

Uma coisa é certa: não se pode negar que temos a presença de UFOs em nosso planeta
Créditos: LUCA OLEASTRI

Quando militares abduzem pessoas levadas por ETs

A Ufologia se tornou um campo em que uma mistura de diversas ideias estranhas e fantásticas, especulações e teorias abundam como se não houvesse amanhã. Há tantas vertentes e correntes de pensamento que chegamos a nos perguntar se o assunto pode se tornar ainda mais fantástico do que já é. Obviamente, não podemos nos esquecer de que toda especulação é boa, contanto que seja construtiva e feita com o único propósito de encontrar algumas respostas.

Da mesma forma, a literatura ufológica retrata essa mistura de pensamentos e teorias e há livros de todos os tipos, uns contrariando outros. Quem acompanha o tema sabe que alguns autores poderiam nos fazer crer que estamos sendo visitados por seres de Zeta Reticuli, enquanto outros poderiam nos levar a crer que estamos sendo visitados por viajantes do tempo, seres de universos paralelos ou qualquer outra coisa. A lista é extensa. Uma coisa é certa: não se pode negar que temos a presença de UFOs em nosso planeta, mas saber sobre a presença é uma coisa, determinar o que essa presença pode ser, é outra bem diferente.

Pessoalmente, concordo que se busquem as mais variadas possibilidades para explicar o fenômeno e que se abram tantas portas ufológicas quantas for possível, porque é bem provável que a verdade sobre o assunto esteja em meio a todas essas avenidas de possibilidades. Profissionalmente, este autor está na afortunada posição de receber das editoras muitos livros sobre UFOs e paranormalidade para revisão. Em 1999, recebi o exemplar de um livro que me surpreendeu muito — e mesmo passados 20 anos, a obra ainda é relevante e atual. Estamos falando de MILABs: Military Mind Control and Alien Abduction [MILABs: Controle da Mente por Militares e Abdução Alienígena [Illuminet Press, 1999] escrito pelo doutor Helmut Lammer e por sua esposa Marion Lammer.

Ciência planetária e abduções

O doutor Helmut Lammer tem doutorado em geofísica e trabalha no Instituto de Pesquisas Espaciais da Áustria como cientista planetário. O autor publicou diversos trabalhos em jornais científicos de prestígio, como o Journal of Geophysical Research [Jornal de Pesquisa Geofísica], Geophysical Research Letters [Cartas de Pesquisas Geofísicas] e Planetary and Space Science [Ciência Planetária e Espacial]. Lammer é membro da Sociedade Geofísica Europeia (EGS) e da Academia de Ciências de Nova York (NYAC). Portanto, uma pessoa de elevada credibilidade.

Em seu tempo livre, Lammer escreve para numerosas revistas ufológicas e é o representante austríaco da Mutual UFO Network (MUFON) e também membro associado da Sociedade para Exploração Científica (SSE). Sua esposa Marion estudou advocacia na Universidade de Graz, na Áustria, e como tem um interesse permanente no Fenômeno UFO, ajudou o marido em seus estudos e na pesquisa para o livro. O objetivo principal da obra dos Lammer é o de nos informar que nem tudo é o que parece e que muitas abduções ufológicas são o trabalho de militares, homens de negro ou em jalecos brancos, que estão abduzindo indivíduos com objetivos nada republicanos.

Segundo Helmut Lammer, o primeiro desses objetivos seria “obter tanta informação quanto possível dos abduzidos, bem como sobre o que ocorreu durante suas experiências para acessar qualquer tecnologia ou informação avançada que seja possível, a qual poderia ser potencialmente utilizada para avançar nossa tecnologia”. Em outras palavras, humanos abduzem pessoas previamente abduzidas por alienígenas para tentar tirar delas a maior quantidade possível de informações.

TODO O CONTEÚDO DESTA EDIÇÃO ESTARÁ DISPONÍVEL NO SITE 60 DIAS APÓS A MESMA SER RECOLHIDA DAS BANCAS

Para continuar lendo este artigo, você deve se cadastrar no Portal UFO. O cadastramento é gratuito e dá acesso a todo o conteúdo do site.

Login

Compartilhe esse artigo:

Sobre o Autor

Malcolm Robinson

cvfbafdgadrgz

Comentários

UPDATED CACHE