Revista UFO - Portal da Ufologia Brasileira - A mais antiga revista sobre discos voadores do mundo

ARTIGO

Por Richard M. Dolan

Penetrando na estranha tecnologia dos discos voadores e tripulantes

Muitos ufólogos veem a ciência como inimiga da Ufologia. Para eles, os cientistas fecham a mente e se recusam a sequer analisar as evidências com um pouco de boa vontade. Mas será mesmo assim? Os tempos estão mudando e, talvez, boa parte dessa mudança venha justamente dos UFOs e de seus tripulantes.

Categoria: CIÊNCIA | MISTICISMO | PARANORMALIDADE | TECNOLOGIA
crédito: LUCA OLEASTRI
ampliar
Teriam os discos voadores uma Física semelhante à que conhecemos na Terra?
SAIBA MAIS
Stephen Hawking, um legado inigualável para a humanidade Velocidade de dobra: o segredo dos discos voadores? Os muitos mistérios e encantamentos dos Andes Bolivianos

O Fenômeno UFO apresenta uma ciência muito mais avançada do que aquela que temos e conhecemos na atualidade, e quanto mais profundamente o exploramos, mais radical e complexa esta ciência se torna. Por anos os estudiosos da Comunidade Ufológica Mundial têm se perguntado se essas naves alienígenas, se é que é isso que elas são, podem ser explicadas com os conhecimentos de Física que nós temos.

Para começar, vamos falar sobre a tecnologia de propulsão destes veículos. O que, afinal, permite que uma nave paire indefinidamente no ar, acelere instantaneamente, faça mudanças de direção precisas e todas as outras coisas incríveis que os UFOs fazem? E mais ainda, o que permite que eles realizem tudo isso em silêncio? E essa não é a única área em que esses objetos propõem um desafio científico — existe também a questão relacionada, mas distinta, da energia. Afinal, não é provável que eles sejam movidos à gasolina ou a combustível de jatos. O que eles usam, então?

Mas mesmo essas questões, por mais importantes que sejam, parecem irrisórias quando comparadas com outras que precisamos levantar. Os vários encontros com UFOs parecem indicar que os seus tripulantes, sejam eles extraterrestres ou outra coisa qualquer, têm algum tipo de domínio sobre o próprio espaço-tempo. Mais e mais vezes encontramos na literatura ufológica o chamado Fator Oz, que se traduz nos momentos de estranheza que ocorre em relação aos UFOs e aos seres que os controlam.

UFOs e os mistérios da mente


Os objetos podem sumir e aparecer em seguida e muitas vezes as testemunhas têm a sensação não apenas de tempo perdido, mas de distorção temporal. Será que a fenomenologia ufológica representa um avanço em nosso entendimento do espaço-tempo? Outra questão relacionada a ele diz respeito à forma como eles chegam até aqui. Se qualquer desses objetos vêm de civilizações espalhadas pelo universo, é bem possível que tenham encontrado uma maneira de distorcer o espaço-tempo de modo a nos alcançar. O mesmo vale caso eles venham de outro universo ou de outra realidade, seja lá o que isso queira dizer.

Finalmente, devemos nos perguntar sobre a própria consciência. Há casos de pessoas relatando comunicação telepática com os seres, dentro de uma imensa variedade de contextos. Isso acontece não apenas durante os relatos de abdução alienígena, durante as quais a telepatia parece ser a regra, mas também ao longo de avistamentos dos veículos, quer eles se apresentem como naves ou como globos luminosos. Há vários relatos de pessoas que, ao acordarem no meio da noite, sentiram uma grande urgência de olharem pela janela de seus quartos, apenas para verem uma bola de luz alaranjada.

Atenção
Para continuar lendo este artigo, você deve se cadastrar no Portal UFO.
O cadastramento é gratuito e dá acesso a todo o conteúdo do site. Basta clicar aqui.
Caso já tenha cadastro, conecte-se na home do site ou clique aqui.
ENQUETE
  GENIAIS.COM   
Edição 257
Sumário Edições anteriores

CENTRAL DE ATENDIMENTO

(67) 3341-8231
Horário: das 09h00 às 18h00, de segunda a sexta (exceto feriados)

FORMAS DE PAGAMENTO

Formas de pagamento

NOTÍCIAS MAIS VISUALIZADAS

+ NOTÍCIAS
2011 © Editora Evolução Ltda.
Todos os direitos reservados. Termos de Uso. Declaração de privacidade.