ARTIGO

O início da contagem regressiva para o contato oficial com eles

Por Pedro de Campos | Edição 240 | 01 de Novembro de 2016


Créditos: GERALDO LEMOS NETO LUCA OLEASTRI

O início da contagem regressiva para o contato oficial com eles

O início da contagem regressiva para o contato oficial com eles

São inúmeros os relatos de que se aproxima o dia em que a humanidade será formalmente visitada por outra civilização. Desde o término da Segunda Grande Guerra, os sinais e as manifestações de UFOs se avolumam em testemunhos e páginas, dando conta de que estamos tendo avistamentos intrigantes e fazendo contato informal com entidades alienígenas. Naves e seres de natureza física, e outros de composição rarefeita, se fazem presentes de improviso no nosso ambiente.
A “data limite”, o início da contagem regressiva para o contato formal, está próxima e será, segundo Chico Xavier, o ano 2019. Nos 38 anos seguintes a ela, conforme disse Emmanuel, seu mentor espiritual, haverá aprimoramentos e a Terra será um mundo regenerado. Então, se for afastada a ameaça nuclear ao longo desse período, poderá haver o contato formal, conforme Geraldo Lemos Neto nos conta em entrevista. Vamos ver o que ele diz sobre este tema em especial.

Acreditamos que estamos no limiar de novos tempos. O que dizem os espíritos sobre um contato formal com outras inteligências cósmicas? Chico Xavier, no programa Pinga Fogo, da antiga TV Tupi, em rede nacional de rádio e TV, em 1971, foi a primeira autoridade religiosa brasileira a assumir em público a existência de civilizações extraterrestres. Naquela ocasião, ele afirmou que estávamos diante de novos tempos, em que a ciência descortinará a todos um futuro imenso diante do universo. Disse que vamos compreender que fazemos parte de uma família universal, que não somos o único mundo criado por Deus. Segundo me explicou depois, em 1986, se vencermos o prazo de 50 anos da chegada do homem à Lua, ou seja, se chegarmos a 20 de julho de 2019 sem a eclosão de uma guerra nuclear entre as grandes potências, nenhum de nós poderá prever os avanços que teremos a partir de então. Haverá possibilidade concreta de que civilizações extraterrestres, muito mais evoluídas tecnológica e espiritualmente, se apresentem a nós abertamente, trazendo-nos conquistas novas no campo da ciência, da medicina e do entendimento de nossa realidade existencial cósmica.

O risco de sucumbirmos a um cataclismo nuclear tem sido a tônica de alguns relatos alienígenas que a Ufologia insiste em não levar a sério. Se isso ocorrer, o que nos espera? Em 1986, conversando com o médium, ele me explicou que caso as potências militares ingressem em uma conflagração nuclear, de consequências devastadoras para a vida planetária — alcançando-se o trágico e tenebroso resultado da matança de dois terços da vida no planeta —, muito provavelmente será a própria Terra que reagirá. Sua estrutura, cansada dos abusos do homem em milênios de matanças e devastação da natureza, reagiria com a eclosão de enormes vulcões extintos, de terremotos e tsunamis que deixariam o Hemisfério Norte quase que totalmente inabitável.

Seria inevitável, então, a migração para o outro hemisfério. O que diz disso? Os sobreviventes do holocausto viriam para o Hemisfério Sul, segundo ele, inclusive para o Brasil — nossa nação seria dividida, assim como outras do hemisfério, para abrigar refugiados. Voltaríamos no tempo em termos de avanços tecnológicos, uma vez que a destruição acabaria com muitas de nossas facilidades atuais. Provavelmente, segundo Chico Xavier, o esforço de reconstrução levaria séculos. De modo que a nossa entrada no rol dos chamados “planetas em regeneração”, como denominado na Doutrina Espírita, seria atrasada em quase um milênio. Então, na hipótese de um estancamento evolutivo, somente nos integraríamos à comunidade cósmica lá por volta do ano 3.000. Por conta disto, as comunidades interplanetárias do Sistema Solar e de outros sistemas vizinhos têm interesse por nossas instalações militares, em especial as nucleares, atuando por vezes diretamente e interferindo para desabilitá-las.

Poderia explicar mais a natureza dessas formas de vida nos planetas do Sistema Solar? A explosão nuclear as afetaria ou seria apenas uma precaução de ajuda a nós? Com relação ao problema das explosões nucleares, Chico Xavier nos afirmava que a atual capacidade científica de entendimento terrestre ainda estava longe de compreender as sérias consequências dessas detonações, que não somente destroem partes da realidade física no planeta, causando aniquilamento e radiação de difícil controle, mas também influem danosamente em outros planos extrafísicos. Eles são invisíveis para nós, mas estão repletos de vida e organização social, que rodeiam a Terra e mais além, constituindo outras comunidades planetárias no nosso Sistema Solar. E estariam em risco caso a irresponsabilidade dos homens iniciasse um holocausto nuclear.

Você é coautor de um livro que fala sobre a data limite para contato. Como isto iniciou? Tudo começou com a iniciativa da doutora Marlene Rossi Severino Nobre, que julgou por bem divulgar o que Chico Xavier nos dizia na intimidade do seu lar, em Uberaba, sobre esses assuntos. Inicialmente, ela nos fez algumas entrevistas publicadas na Folha Espírita, de São Paulo, por ocasião do centenário do médium, em 2010. Depois, essas entrevistas comigo e com outros colaboradores foram reunidas no livro Não Será Em 2012 [FEB, 2012], que eu e ela fizemos em conjunto. Em seguida, gravamos uma entrevista no programa Portal de Luz, que ela capitaneava na TV aberta, em São Paulo, e que depois foi transformada no DVD de mesmo nome, Não Será em 2012.

Mas houve outros desdobramentos. Como foram? Esses lançamentos chamaram a atenção de produtores de São Paulo, que foram a Pedro Leopoldo e nos visitaram na Casa de Chico Xavier. Lá gravamos, então, a entrevista que seria o pontapé inicial do documentário em DVD Data Limite Segundo Chico Xavier, idealizado por Juliano Pozati e lançado pela Pozati Filmes. A repercussão foi muito além do que imaginávamos e, pelo sucesso, decidiu-se abri-lo no YouTube, tendo sido acessado por mais de três milhões de pessoas. A partir daí, em uma parceria com o Grupo Editorial Citadel, de Porto Alegre, surgiu o making of do documentário, que é o livro Data Limite, de autoria de Pozati, Rebeca Casagrande e Fábio Medeiros.

Falamos de eventual hecatombe atômica, mas até agora a temida guerra nuclear não veio. Se permanecer assim, teremos contato formal com os extraterrestres? É possível estimar quando? Se aquela data limite for superada sem a guerra nuclear, cremos que o contato formal se dará a partir de 20 de julho de 2019 — mas não se pode precisar uma data para que ele ocorra, sendo certo que se dará entre essa data e abril de 2057, se ficarmos livre da ameaça nuclear. Data limite é data de partida. Segundo Chico Xavier, em entrevista que concedeu, o espírito Emmanuel afirmou que em 2057 a Terra já seria um mundo regenerado, mais espiritualizado. Já teria superado muitas dores e construído uma nova sociedade, porque a humanidade caminha para a regeneração das consciências e cabe a cada um a longa e árdua tarefa de ascensão. A faixa de tempo para contato formal parece essa.

Para continuar lendo este artigo, você deve se cadastrar no Portal UFO. O cadastramento é gratuito e dá acesso a todo o conteúdo do site.

Login

Compartilhe esse artigo:

Sobre o Autor

Pedro de Campos

Casado e pai de três filhos, Pedro de Campos nasceu em 1950, na capital paulista. Formado em mecânica e telecomunicações, trabalhou por 25 anos na Olivetti do Brasil. Como administrador de empresas, esteve no comando do planejamento industrial da empresa. Trabalhou dois anos na Itália chefiando a qualidade e transferindo para o Brasil tecnologia para transmissão de dados via satélite. Campos teve contato com o Espiritismo por intermédio de sua mãe, que cursou a Federação Espírita de São Paulo e fundou o Centro Espírita Ana Belhunas, em 1963. Começou a participar de sessões espíritas aos 13 anos, e no decorrer dos tempos desenvolveu mediunidade e recebeu treinamento, tornando-se um pensador espírita.

Psicografou o consagrado livro Colônia Capella: A Outra Face de Adão [2002], do autor espiritual Yehoshua ben Nun, e foi contratado pela Lúmen Editorial para lançar seus livros por essa editora. Participou de pesquisas e vigílias ufológicas e iniciou a coleção Uma Visão Espírita da Ufologia, inédita, com o livro Universo Profundo: Seres Inteligentes e Luzes no Céu [2003], do espírito Erasto. E foi continuá-la no livro UFO: Fenômeno de Contato [2005], sobre a pluralidade dos mundos habitados e seres ultraterrestres. Prosseguiu com Um Vermelho Encarnado no Céu [2006], em que mostrou os acontecimentos vividos por pessoas que tiveram contato com UFOs, inclusive ele próprio, com destaque ao estudo de ETs sólidos e à primeira sessão de “desabdução”.

Comentários