Edição 96
DESTAQUE

Memórias da Ufologia: O incrível caso do Doutor X

Por
01 de Feb de 2004
O impressionante caso do Doutor X, em que dois UFOs se fundem em pleno ar
Créditos: r. gigi

Este incidente, envolvendo uma testemunha que nunca quis ter sua identidade exposta, foi pesquisado por importantes estudiosos de renome internacional, dentre os quais o ufólogo francês Aimé Michel. Em 1958, um homem conhecido apenas como “Doutor X” servia no exército da França, quando foi ferido pela explosão de uma mina, na Argélia. Isso viria a lhe causar uma certa deficiência no lado direito do corpo e fortes dores ocasionais. Dez anos mais tarde, no final de outubro de 1968, o Doutor X estava cortando lenha em sua casa quando fez um movimento em falso, possivelmente agravado pela deficiência parcial, e se cortou na perna. A hemorragia foi intensa e logo o local inflamou. Ele foi tratado imediatamente, mas as dores na área do ferimento perduraram algum tempo. Na noite de 02 de novembro daquele ano, ainda sofrendo seqüelas do recente acidente, o Doutor X foi despertado pelo choro de seu filho de 14 meses. Dirigiu-se ao quarto do filho e, qual não foi sua surpresa, ao ver a criança de pé no berço e apontando para um clarão intenso que se movia através das venezianas na janela.

Como a estranha luz persistia, ele resolveu ir até a sacada. Antes de sair, reparou que o relógio mostrava 04h00. Uma vez na sacada, ele deparou com dois grandes objetos discóides de cor prateada na parte superior, mas com o fundo lembrando as cores do pôr-do-Sol. Cada disco era encimado por uma antena e deles se projetava um facho de luz branca que iluminava tudo abaixo – árvores, grama e o solo. Os dois UFOs começaram a emitir faíscas e se aproximar um do outro, terminando por se fundir num único objeto. O disco se moveu, então, para uma posição quase acima de sua cabeça e o facho de luz, agora também único, atingiu a testemunha em cheio. O Doutor X ouviu uma espécie de estalo e o objeto subitamente desapareceu, deixando apenas um fiapo esbranquiçado no ar.

Ferimento Curado —
Entrando apressado em casa, ele acordou a esposa. Enquanto andava agitado pelo quarto, notou que não sentia dor alguma, nem do recente corte nem do antigo ferimento de guerra. A própria deficiência, inclusive, tinha desaparecido, pois ele conseguia caminhar normalmente. O Doutor X resolveu consultar os médicos que o estavam acompanhando. Eles, embora atônitos, tiveram de confirmar que sua cura parecia total. Tratava-se de uma interessante “remissão espontânea”. Segundo outro respeitado ufólogo francês, Jacques Vallée, tempos após o contato, o Doutor X e sua esposa teriam passado por uma fase de manifestação de fenômenos poltergeist em sua casa, bem como de distúrbios elétricos.

Chegamos lá de novo. Mas nem sinal dos marcianos...

Já está no ar a Edição 96 da Revista UFO. Aproveite!

Feb de 2004

Fomos visitados