Edição 89
DESTAQUE

Memórias da Ufologia: Ciclope em Minas Gerais e Raio na Argentina

Por
01 de Jul de 2003
Créditos:

Ciclope em Minas Gerais e raio na Argentina

Humanóide Ciclópico — Pesquisado pelo grupo mineiro Centro de Investigação Civil de Objetos Aéreos não Identificados (Cicoani), este incidente envolveu três garotos que buscavam água no poço de sua casa, no bairro Sagrada Família de Belo Horizonte. Ocorreu em 28 de agosto de 1963. Um dos meninos, de 14 anos, observou uma claridade vinda do céu. Ao olhar para cima, deparou com um objeto esférico, flutuando sobre um abacateiro. Tinha entre 3 e 3,5 m de diâmetro. Na parte superior, uma antena com três hastes e pequenas esferas.

Os meninos notaram quatro pessoas sentadas em banquinhos de uma só perna – três homens e uma mulher. Esta tinha longos cabelos louros e puxados para trás. Os homens eram calvos. Subitamente, o objeto projetou ao solo dois feixes de luz amarela, entre os quais desceu um dos seres, flutuando. Quando este moveu o braço na direção do garotinho menor, de sete anos, um dos outros, imaginando ser uma agressão, saltou sobre o menino, jogando-o ao chão.

O ET fez uma série de gestos com as mãos e moveu a cabeça várias vezes, para depois sentar-se sobre a tampa do poço, de frente para a nave. Quando o mesmo garoto pegou uma pedra com intenção de atacá-lo, um raio de luz amarela foi projetado de seu peito atingindo a mão do jovem, que a soltou. O ET começou a conversar com os meninos em idioma desconhecido, com uma voz suave, porém, grave. Ele só tinha um olho, grande, sem esclerótica e no meio da testa. Vestia um escafandro cujo capacete deixava transparecer o rosto. O ser se levantou e caminhou até a nave. No caminho, dobrou o corpo e apanhou uma pedra. As duas faixas de luz foram novamente projetadas do UF O, e ele voltou para a nave através delas. Antes, fez um gesto que os meninos interpretaram como despedida, uma espécie de resposta à pergunta que um dos garotos fez: “ Será que ele volta?”
— Sociedade Brasileira de Estudos sobre Discos Voadores (SBEDV)

Agressão na Argentina — Em outubro de 1963, em Islaverda, Argentina, Eugenio Douglas avistou uma luz na estrada à sua frente, enquanto dirigia em uma noite chuvosa. Foi aumentando de intensidade e obrigou o motorista a diminuir a marcha. Mas quando ele parou o caminhão e desceu, ela não estava mais lá. Viu então um disco com 10 m de altura, do qual saíram três seres com mais de dois metros, usando capacetes com antenas.

Foi emitido um raio vermelho que o atingiu, queimando-o. Em resposta, ele apanhou o revólver da cintura e atirou na direção dos ufonautas. Mas o raio vermelho o perseguiu até o vilarejo de Montemaiz, chegando a afetar a iluminação das ruas. Os moradores disseram que, ao mesmo tempo em que o acudiam, a luz na casa começou a piscar e todos sentiram um odor forte e estranho. O caminhoneiro fora queimado por alguma forma de radiação. As marcas em suas mãos e no rosto eram perfeitamente visíveis.

— The UFO Encyclopedia

Uma milenar companhia cósmica

Já está no ar a Edição 89 da Revista UFO. Aproveite!

Jul de 2003

Fomos visitados