ARTIGO

Conheça melhor o homem que está revolucionando a Ufologia Mundial

Por Luciano Vidotto | Edição 215 | 01 de Setembro de 2014

Sir Paul Theodore Hellyer não é um político comum, mas um bem à frente de seu tempo e que decidiu aderir ao movimento ufológico global
Créditos: John Burroughs

Conheça melhor o homem que está revolucionando a Ufologia Mundial

Desde 2005 que o ex-ministro da Defesa do Canadá sir Paul Theodore Hellyer vem causando agitação nos meios ufológicos com suas contundentes declarações. Seus depoimentos impulsionaram novas formas de se entender a ligação entre as manobras de acobertamento dos UFOs e os intrincados sistemas políticos mundiais. Muito preocupado também com a questão ecológica e com o futuro do planeta, ele luta igualmente para fazer com que os governos mudem sua maneira de agir.


Político, engenheiro e escritor, sir Hellyer nasceu em 1923 e foi criado em uma fazenda na pequena comunidade de Waterford, no Canadá. Dono de um invejável currículo, cursou engenharia aeronáutica no Instituto Técnico Curtiss Wright, na Califórnia, graduando-se em 1941, e logo ingressou na Força Aérea Real Canadense (RCAF), incorporando-se às tropas do país na Segunda Guerra Mundial. Sir Hellyer tentou ser piloto, mas, como havia excesso de contingente, decidiu juntar-se à Artilharia Real Canadense, na qual permaneceu enquanto durou a guerra.

Além de político nato e precoce, também foi um prodígio ao conseguir ser o mais jovem eleito para o Parlamento do Canadá pelo Partido Liberal, nas eleições em 1949, com apenas 26 anos. Ele serviu por um breve período como assistente parlamentar do ministro da Defesa Brooke Claxton, sendo logo depois nomeado para o cargo de ministro adjunto no governo de Louis Saint Laurent. Em 1957, Saint Laurent perdeu as eleições e sir Hellyer perdeu o cargo, mas retornou em 1958.

Período mais notável

Nas eleições de 1963, os liberais regressaram ao poder e Hellyer voltou a ocupar um cargo no governo, agora como ministro da Defesa de Lester Pearson, no qual permaneceu até 1967. Esse foi o período mais notável de sua carreira, pois conseguiu o grande feito de unificar o Exército, a Marinha e a Aeronáutica canadenses em um só órgão. Em 1968, sob o governo de Pierre Trudeau, exerceu o cargo de ministro dos Transportes e depois de ministro de Estado, o que equivaleria hoje à posição de vice-primeiro-ministro.

Em 1971, sir Hellyer tentou formar um novo partido político, mas não conseguiu e Robert Stanfield, o líder do Partido Conservador, o convidou a unirem forças. Ele voltou a ficar em evidência como crítico oposicionista e sendo reeleito em 1972 como conservador progressivo. Perdeu o seu posto nas eleições de 1974, que contestou na convenção da liderança do Partido, em 1976. Voltou ao Partido Liberal em 1982, mas foi um período em que permaneceu em silêncio.


Embora sir Hellyer seja mais conhecido pelo feito da unificação das Forças Armadas, ele manteve ao longo da sua vida um grande interesse por macroeconomia. Através dos anos, como jornalista e comentarista político, continuou sua luta por reformas econômicas. O ex-ministro escreveu vários livros sobre expondo os erros da economia mundial. Entre eles estão Surviving the Global Financial Crisis [Sobrevivendo à Crise Financeira Global, Chimo Mídia Limited, 1996], Globalization’s Darker Side [O Lado Mais Escuro da Globalização, Chimo Mídia Limited, 1997] e Light at the End of the Tunnel [A Luz no Fim do Túnel, Author House, 2010].

Ingresso na Ufologia

Em 2005, sir Hellyer passou a se interessar mais profundamente pelos UFOs, tratando de casos ufológicos de grande impacto com seus conhecidos no alto escalão do governo e com militares norte-americanos de alta patente, como o episódio de Roswell. Interessou-se, em especial, em desvendar a verdade sobre um suposto encontro entre extraterrestres e o presidente dos Estados Unidos Dwight Eisenhower. Naquele ano, fez manchetes em todo o mundo ao anunciar que os UFOs eram de origem extraterrestre. Em novembro, sir Hellyer acusou o presidente dos Estados Unidos George W. Bush de planejar uma guerra intergaláctica, ressaltando que “as forças militares norte-americanas estão preparando armas para serem usadas contra extraterrestres e podem nos levar a uma guerra sem precedentes”.

A fragilidade do sistema monetário mundial permite que alguns países sejam extremamente ricos e outros miseravelmente pobres. Isso precisa ser modificado para que cada governo possa sustentar seus habitantes.

Também em 2005, o ex-ministro pediu formalmente que o Parlamento Canadense realizasse audiências públicas para debater os discos voadores. O fato teve tamanha repercussão que dois dos mais respeitados jornais do país, o The National Post e o Edmonton Sun, cobriram a história. O último exibiu, em 26 de novembro, a seguinte manchete: “Senado pressionado a realizar audiências sobre ETs”. As audiências ocorreram no ano seguinte.

O relacionamento de sir Hellyer com o governo norte-americano jamais foi de amizade. O ex-ministro há tempos tem sérias desconfianças em relação ao comportamento das autoridades do país vizinho, que diz serem dominadas por uma pequena elite militar do Pentágono. Assim denunciou, sem medo, que o Sistema de Defesa Nacional de Mísseis norte-americano seria apenas um passo na direção de um maior que envolveria armas de destruição em massa no espaço — projetado para pulverizar qualquer instalação militar ou civil na Terra.

Afirmações polêmicas

Em sua empreitada para impedir que os Estados Unidos lançassem tais armas no espaço, sir Hellyer também não poupou seus colegas canadenses, acusando vários deles de estarem mancomunados com os norte-americanos neste propósito. “A imagem disso é tão repugnante que está além de qualquer sentimento de choque e pavor, e não são nada compatíveis com os valores canadenses”, disse. Afirmou ainda que o Canadá deveria aceitar o convite do congressista Dennis Kucinich, de Ohio, para lançar uma conferência para buscar a aprovação de um tratado internacional para banir as armas no espaço.

Em suas várias manifestações públicas, sir Hellyer sempre fez questão de mencionar que não estamos sozinhos no universo e que os extraterrestres estão bem mais perto de nós do que pensamos. Em recente entrevista, disse que “alguns deles se parecem tanto conosco que poderiam passar por nós na rua sem que os notássemos”. O astronauta Edgar Mitchell foi um dos que endossou sua afirmação. Mas ele foi além e disse também ter informações seguras de que existem cerca de 80 espécies diferentes nos visitando. “Alguns desses seres trabalham na Área 51, no Deserto do Nevada”, cravou.

Um perigo eminente

Em 2010, o ex-ministro acusou o físico britânico Stephen Hawking de espalhar desinformações sobre ameaças extraterrestres, quando o cientista afirmou que ETs podem vir à Terra em enormes naves depois de terem esgotado os recursos de seus planetas, e seriam para nós um perigo eminente. “A realidade é que eles têm visitado a Terra há milênios e contribuído consideravelmente para o nosso desenvolvimento”, disparou sir Hellyer, culpando Hawking por assustar a humanidade sobre os extraterrestres.

Não é de hoje que o ex-ministro vem causando polêmicas envolvendo a presença alienígena na Terra. Em 03 de junho de 1967, ele foi até a cidade de Saint Paul, na província de Alberta, no Canadá, e inaugurou oficialmente uma pista de pouso para UFOs — a instalação havia sido incluída nos mais de 100 projetos centenários organizados pela cidade. “Com isso, todos os visitantes que chegam à Terra são bem-vindos a este país e à cidade de Saint Paul”, declarou.


Para continuar lendo este artigo, você deve se cadastrar no Portal UFO. O cadastramento é gratuito e dá acesso a todo o conteúdo do site.

Login

Compartilhe esse artigo:

Sobre o Autor

Luciano Vidotto

Bacharel em direito pela Faculdade Maringá, investigador de campo do CBPDV, tem prestado apoio nas produções de eventos promovidos pela Revista UFO, e seus consultores como, Marco A. Petit e Toni Kurowski, bem como na tradução e difusão de extenso material do mundo ufológico, como Citizen Hearing [Audiência Cidadão] e, em entrevistas com Laura M. Eisenhower, e o cientista político Michael Salla. Integra a equipe de tradução da UFO.

Comentários