ARTIGO

Brasil é recordista em pousos de discos voadores

Por Edison Boaventura Júnior | Edição 47 | 01 de Novembro de 1996


Créditos:

Brasil é recordista em pousos de discos voadores

Uma onda ufológica deflagrada no meio do ano passado trouxe para o Brasil um saldo de muitas evidências físicas. O primeiro caso de aterrissagem comprovado foi pesquisado pelo Grupo Ufológico do Guarujá (GUG), juntamente com o Instituto Nacional de Investigação de Fenômenos Aeroespaciais (INFA). Esse fato aconteceu em 1° de outubro de 1995, em São Vicente, litoral paulista, envolvendo dois pescadores: Fernando Bezerra e Wilson da Silva Oliveira, testemunhas oculares do fato [Editor: o caso foi publicado na UFO 41].

Na ocasião, ocorreram três tipos de efeitos comuns a casos como este, que são o eletromagnético (parada no funcionamento do motor da embarcação), mecânico (vegetação amassada e queimada pela intensa luminosidade do UFO, além de quatro marcas de trens de aterrissagens) e efeito fisiológico (os dois pescadores queixaram-se de irritações nos olhos e diarréias). No final de outubro de 1995, outro caso envolvendo pouso foi noticiado pelo jornal Correio do Povo, de Porto Alegre, e foi publicado no dia 1° de novembro de 1995. O artigo dizia que 44 pessoas teriam visto um UFO na estrada que vai para a Praia do Laranjal, em Pelotas (RS), quando estavam em um ônibus da empresa Sopel. Esse avistamento aconteceu no dia 29 de outubro de 1995.

No dia 15 de novembro de 1995, na cidade de Joaçaba (SC), a senhora Anita Viegas avistou um UFO pela janela de seu quarto. Este objeto tinha uma luz muito forte, era redondo e emitia um zumbido semelhante ao de broca de dentista. Este caso foi pesquisado por Rogério Porto Breier, membro da União Brasileira para Pesquisa de Discos Voadores (UBPDV) e publicado na edição 44 de UFO. Outro caso aconteceu no dia 12 de dezembro de 1995, na Fazenda Bela Vista, município de Ituporanga, interior de Santa Catarina. Os senhores Egon Kratz e Adilson Marcílio observaram um disco voador efetuando manobras sobre a copa de algumas árvores. Três dias depois, encontraram a vegetação do local toda chamuscada [Editor: veja UFO 43].

AMOSTRAS DE SOJA – O jornal Zero Hora, de 22 de março de 1996, noticiou que uma mancha circular apareceu em uma lavoura de soja na região de Machadinho (RS). Esse círculo queimado dentro da lavoura tinha 20 m de diâmetro e apresentava três sulcos com 15 cm de profundidade que formavam um triângulo. Também em Machadinho, no dia 28 de fevereiro deste ano, o agricultor Wilmar Wegher viu uma bola de fogo no céu. O objeto movia-se rapidamente em linha reta. No dia seguinte, dezenas de moradores avistaram fenômenos parecidos. As amostras de soja retiradas da lavoura do agricultor estão sendo analisadas pela Empresa Brasileira de Pesquisas Agropecuárias de Passo Fundo (RS). O agrônomo Hamilton Lauer Centeleghe também está analisando essas amostras.

No jornal Contato UFO, de abril de 1996, foi publicada uma matéria do pesquisador Ari José Homem que diz respeito a um UFO que emitiu uma luz extremamente forte, chegando a atingir um cafezal. Os caules das árvores estavam todos queimados da metade para cima, os frutos torrados e as folhas caídas ao chão. O fato aconteceu na cidade de Cravinhos (SP). O detalhe que mais chamou a atenção de Ari foi que metade das folhas e frutos permaneceram verdes, porém a outra metade dos galhos, com frutos mais próximos ao arbusto, ficou queimada na parte superior e verde na parte inferior. O ufólogo Ney Matiel Pires, de Mirassol, oeste de São Paulo, pesquisou um pouso visto pelo lenhador Dirceu Guimarães no dia 17 de março de 1996, na Fazenda Areia Branca, em Ipiguá, também no interior daquele estado. O lenhador observou um estranho objeto de cor prata que emitia luzes amarelas. Dirceu viu quando o objeto aterrissou apoiando-se em quatro hastes que tinham forma de cunha. Segundo a testemunha, estas hastes deixaram quatro marcas na terra com 4 cm de profundidade cada.

No dia 9 de abril de 1996, no Bairro Campinhos, região limítrofe entre Águas da Prata e São Sebastião da Grama (SP), um UFO teria pousado sobre a pastagem, conforme disseram as testemunhas José Antonio de Souza e sua esposa Nilce Romera de Souza. No dia seguinte, o filho do casal (junto com o pedreiro Luiz) constatou que no chão havia um círculo coberto por uma película gelatinosa e de contornos carbonizados. As amostras da película foram entregues ao biólogo José Hermano Ramalho para análise. Além desses, há outros casos de avistamentos de UFOs no país que não foram registrados. Essa pequena amostra nos dá a idéia de quão rico é o Brasil em matéria de ocorrências ufológicas.

Para continuar lendo este artigo, você deve se cadastrar no Portal UFO. O cadastramento é gratuito e dá acesso a todo o conteúdo do site.

Login

Compartilhe esse artigo:

Sobre o Autor

Edison Boaventura Júnior

Bancário, teólogo e presidente do Grupo Ufológico de Guarujá (GUG), finalista do IV Concurso Nacional de Ufologia e convidado especial desta edição.

Comentários