ARTIGO

A cronologia do fantástico Caso Roswell

Por Equipe UFO | Edição 40 | 01 de Setembro de 1995

O governo dos EUA não esconde apenas a queda de um UFO em Roswell, mas muitas outras quedas ? talvez mais que 30
Créditos: Arquivo UFO

A cronologia do fantástico Caso Roswell

O assunto é tão secreto que é resguardado por entraves burocráticos que garantem o sigilo. Mas alguns documentos que registram o conhecimento do governo quanto às quedas vazaram e foram descobertos pelos ufólogos. O mais famoso deles é esse memorando que o agente Guy Hottel enviou ao diretor do FBI, na época o lendário Edgar Hoover. O documento é datado de 22 de março de 1950.

QUARTA-FEIRA, 2 DE JULHO, 21H50
O casal Wilmot está sentado em sua varanda, num bairro tranqüilo em Roswell, quando observa um grande objeto oval cruzar o céu inexplicavelmente. A nave era incandescente e voava em alta velocidade no sentido nordeste. Ao mesmo tempo, William Woody e seu pai vêem no céu um objeto brilhante indo em direção norte. Durante uma tempestade, o rancheiros MacBrazel e seus vizinhos ouvem uma explosão nas proximidades de onde moram, há algumas milhas da cidade de Roswell.

QUINTA-FEIRA, 3 DE JULHO
Pela manhã, Brazel sai em seu cavalo a fim de verificar os danos causados pela tempestade. Surpreende-se ao ver um campo de destroços de aproximadamente 4 km quadrados, onde encontra lâminas de um metal muito maleável, mas que sempre retornava à forma original. Vê também bastões de material análogo ao basalto – objetos altamente resistentes, impossíveis de serem cortados ou queimados. Brazel percebe que há sinais impressos nos objetos, os desenhos eram de cor lilás e se pareciam com algum tipo de escrita oriental, talvez hieróglifos.

SEXTA-FEIRA, 4 DE JULHO
Feriado nacional. Brazel leva alguns destroços ao seu galpão, entre eles há uma peça de aproximadamente 3 m. Suas ovelhas não querem passar pelo campo de destroços. Os animais parecem sentir que algo estranho aconteceu no local. À noite, Brazel encontra alguns amigos, que o aconselham a contar tudo para as autoridades.

DOMINGO, 6 DE JULHO, 8H00
Pela manhã Brazel vai até o escritório do xerife George Wilcox em Roswell. Leva alguns destroços na camionete. Ao ver os pedaços da suposta nave, o xerife envia alguns de seus subordinados para a fazenda com a finalidade de verificar o local do acidente. Chegando lá, não encontram mais os destroços, mas somente uma camada vitrificada sobre a terra. No mesmo dia da visita ao xerife, Brazel concede uma entrevista à rádio local.

DOMINGO, 6 DE JULHO, 13H00
Jesse Marcel vai ao escritório do xerife em Roswell com a finalidade de se encontrar com Brazel. Olha o material e decide visitar o rancho em que aconteceu o acidente. Seu superior, o general Roger Ramey, fica sabendo do achado e comunica ao Pentágono.

DOMINGO, 6 DE JULHO, 17H00
Chegando ao rancho, Brazel mostra os destroços no galpão para o major Marcel, que os examina com um contador Geiger. O aparelho não capta sinais de radiatividade nos objetos. Enquanto Marcel e seus homens pernoitam no galpão, o Pentágono organiza uma busca no local da queda sem que ninguém saiba.

DOMINGO, 6 DE JULHO, 19H00
Os oficiais localizam os destroços e seus ocupantes. Imediatamente chegam ao local várias equipes de resgate e escavação. Também participa do processo o arqueólogo Cury Holden, que ao fazer pesquisas sobre povos pré colombianos, descobre os destroços por acaso.

SEGUNDA-FEIRA, 7 DE JULHO
Pessoas das proximidades encontram objetos pelo chão, como pequenos bastões de 1cm, com gravações parecidas com hieróglifos. Ninguém conseguia decifrar as inscrições, tampouco descobrir o tipo de material que formava as peças. Encontram também um pergaminho muito incomum, além de fragmentos de folhas de alumínio que não se amassavam. O mais curioso de tudo é que os objetos parecem ser indestrutíveis, resistindo a todos os testes.

SEGUNDA-FEIRA, 7 DE JULHO, 9H00
Pentágono ordena o bloqueio de todas as entradas e vias de acesso para Roswell. Os auxiliares do xerife Wilcox cercam o Rancho Foster, não deixando ninguém passar.

SEGUNDA-FEIRA, 7 DE JULHO, 13H00
Glenn Dennis, da Funerária Ballard, em Roswell, recebe um comunicado de um dos oficiais da base: “Qual o tamanho dos caixões herméticos que o senhor tem? São pequenos? Há estoque?”. Dennis fica perplexo e quer saber se houve algum tipo de desastre nas proximidades. Diz que não tem estoque e que demoraria umas 24 horas para conseguir o material.

SEGUNDA-FEIRA, 7 DE JULHO, 14H00
No Pentágono, os generais Curtiss Lemay e Hoyt Vandenberg têm uma conversa sobre os UFOs, mais precisamente sobre o acidente em Roswell. Enquanto isso, o General Nathan Twinning, comandante e técnico de informações, muda seus planos e prepara uma viagem para o Novo México.

SEGUNDA-FEIRA, 7 DE JULHO, 14H30
O oficial da base liga novamente para Dennis. Desta vez, lhe pergunta como preparar corpos que ficam muito tempo no deserto e se os produtos empregados poderiam modificar a química dos corpos. Dennis recomenda o congelamento dos cadáveres e oferece assistência, recebendo a seguinte resposta do oficial: “Não se preocupe, só estamos querendo saber isso a fim de nos prepararmos para casos futuros”. Dennis aceitou a resposta, mas continuou intrigado. Mais tarde, ele conheceu um soldado que havia se acidentado no resgate e o levou à enfermaria do hospital mais próximo. Dennis estaciona sua ambulância ao lado de um veículo da base e vê diversos pedaços de metal lá dentro. Ao entrar no hospital encontra uma amiga enfermeira, que sai de uma das salas de exame e exclama: “Suma daqui, senão você vai ter um aborrecimento gigantesco”.

SEGUNDA-FEIRA, 7 DE JULHO, 20H00
Grande parte dos destroços já haviam sido recolhidos e examinados. O major Marcel vai à base, pega alguns pedaços e leva para casa para mostrar a sua esposa e filho. “Isto não é deste mundo. Quero que vocês se lembrem disso por toda a vida”, exclama Marcel.

Um investigador da Força Aérea declarou que 3 discos voadores foram resgatados no Novo México. Foram descritos como tendo formato circular e cúpula central, com aproximadamente 15 m de diâmetro. Cada nave estava ocupada com 3 corpos de forma humana mas com apenas 1 m de altura. Estavam vestidos com roupa metálica de textura bem fina e com bandagens semelhantes às usadas por pilotos de testes

TERÇA-FEIRA, 8 DE JULHO, 6H00
Reunião particular entre o coronel Blanchard e Jesse Marcel, que mostra a ele as partes dos destroços achados no Rancho Foster. Meia hora mais tarde, acontece uma outra reunião secreta no escritório do coronel Blanchard, desta vez com a cúpula da Força Aérea.

TERÇA-FEIRA, 8 DE JULHO, 9H00
O xerife Wilcox procura pelo pai de Dennis, que é seu amigo. “Seu filho parece estar em apuros”, advertiu. “Diga a ele para não declarar nada do que viu na base”.

TERÇA-FEIRA, 8 DE JULHO, 9H20
Blanchard resolve lançar um comunicado à imprensa: “Os muitos boatos acerca dos discos voadores ontem se tornaram realidade quando o escritório de notícias do 509° Grupo de Bombardeiros da Força Aérea teve a sorte de chegar a possuir um disco – tudo isso graças à cooperação de um rancheiro local e de um xerife”. E o relatório do general continua: “O objeto aterrissou em um rancho perto de Roswell na última semana. Como o rancheiro não tem telefone, guardou o disco até poder informar ao xerife, que por sua vez, notificou o major Jesse Marcel. Imediatamente, entramos em ação e o disco foi resgatado do rancho, sendo depois inspecionado na Base Aérea de Roswell e encaminhado a uma repartição superior”.

TERÇA-FEIRA, 8 DE JULHO, 11H00
O tenente começa a distribuir o comunicado à imprensa. Ele visita as estações de rádio KGL e KSWS, depois vai aos jornais locais Roswell Daily Record e Morning Dispatch, que publicam no mesmo dia a informação. As emissoras de rádio passam o comunicado para a agência Associated Press, que se encarrega de distribuir a notícia para o mundo. Algumas horas depois, o escritório do xerife Wilcox recebia telefonemas de todas as partes do mundo, como Roma, Londres, Paris, Alemanha, Hong Kong e Tóquio. Porém, este clima de liberdade de expressão não durou muito tempo. Frank Joyce, da emissora KGFL, remete um telex para a agência United Press International (UPI) e, como resposta, recebe um comunicado de Washington desmentindo o caso. Parte do telex informava o seguinte: “Atenção. Aqui FBI. Finalizar relato. Repito: finalizar relato, assunto de segurança nacional. Aguardar”.

TERÇA-FEIRA, 8 DE JULHO, 11H00
Dennis recebe um chamado de sua amiga enfermeira: “Eu preciso falar com você. Você deve fazer um juramento sagrado de nunca mencionar o meu nome, senão eu terei enormes dificuldades…”. Dennis então promete à enfermeira que jamais diria nada a ninguém. Ela começa contar-lhe tudo o que sabe sobre o caso. Dois médicos pediram a ela para que fizesse apontamentos enquanto executavam uma autópsia provisória. Então ela desenhou o que tinha visto: uma cabeça com olhos fundos e grandes, pequenos orifícios nasais, boca fina, sem pêlos, braços compridos e finos. As mãos tinham 4 dedos cada, que terminavam com orifícios, parecidos com ventosas de polvos. Ela também descreve que os seres não tinham cabelos e sua pele era preta. A enfermeira diz ter visto 3 corpos, sendo que estavam muito mutilados, provavelmente por coiotes. Os corpos tinham somente 1,20 m e exalavam um terrível mau cheiro. Os médicos chegaram a desligar o sistema de ar condicionado com medo de que o cheiro se alastrasse por todo o hospital. Mais tarde, a autópsia foi transferida para o hangar de aviões.

TERÇA-FEIRA, 8 DE JULHO, 11H30
A enfermeira se despede de Dennis. Algumas horas depois, fica sabendo que será transferida para outro continente, provavelmente para Inglaterra. Após algumas semanas, escreve para Dennis contando as novidades. O amigo responde a carta e, em vez de uma resposta, recebe um sua casa um envelope com o carimbo “falecida”.

TERÇA-FEIRA, 8 DE JULHO, 12H00
Pousa um avião de Washington no aeroporto de Roswell com uma equipe especial de técnicos e fotógrafos. Os destroços do UFO são levados para a Base Aérea de Wright Patterson, em Ohio, num avião pilotado pelo capitão Oliver Popper Handerson. Ao embarcar, o capitão vê 3 cadáveres extraterrestres no hangar guardados em gelo seco.

TERÇA-FEIRA, 8 DE JULHO, 12H30
Fotógrafos da imprensa americana vão ao rancho Foster e se encontram com Brazel, que lhes faz a seguinte declaração: “Foi um erro notificar às autoridades. Se acontecesse novamente, eu não diria nada, porque isso é uma bomba”. Os fotógrafos também encontram alguns oficiais que vasculham o campo de destroços. Percebem que ninguém tenta impedi-los de fazer o trabalho.

TERÇA-FEIRA, 8 DE JULHO, 16H30
Voltam para Roswell, onde o xerife Wilcox lhes comunica que estão proibidos de fazer qualquer manifestação sobre o que viram. Enquanto isso, os militares também deixam o rancho, levando Brazel para Roswell. Chega à base um avião carregado com destroços. Logo após, Marcel levanta vôo com os destroços para o Forth Worth. Chegando lá, mostra o material para o general Ramey. No Rancho Foster, no lugar dos destroços são colocados os pedaços de um balão meteorológico com um aparelho de orientação pelo radar no chão. É montada uma grande farsa, em que Marcel é obrigado a admitir que o acidente com um UFO não passava de um engano. O que antes era um disco voador, passou a ser visto como um simples balão.

TERÇA-FEIRA, 8 DE JULHO, 18H30

Um memorando interno da polícia federal comunica ao FBI que a história do balão meteorológico não corresponde aos fatos. Brazel é intimado a comparecer na base de Roswell, onde recebeu orientações para desmentir tudo a imprensa. Brazel é obrigado a ouvir coisas como. “Olha meu filho, guarde esse segredo com você, senão ninguém sabe o que pode lhe acontecer, disseram-lhe seus superiores. A esta altura, já circulavam em Roswell os mais absurdos boatos. Um deles dizia que homens vindos de marte se acidentaram no local e que, inclusive, um deles ainda permaneceu vivo por um bom tempo, gritando como um animal até a morte. Outro destes boatos dizia que um dos seres escapou do esquema de segurança e correu toda a noite pela cidade.

Quando resgatadas mortas, as vítimas das quedas de ufos eram autopsiadas e tinham seus órgãos exaustivamente analisados por experts em várias áreas da medicina. Quando encontradas vivas, eram mantidas assim pelo maior período de tempo possível, com intenso acompanhamento médico, psicológico, nutricional, com historiadores, lingüístas, estudiosos etc, para se tentar manter os visitantes ETs sadios e comunicantes

QUARTA-FEIRA, 9 DE JULHO, 8H00
O coronel Blanchard sai de Roswell e visita o lugar da queda. Sua intenção é supervisionar o término do trabalho de resgate, pois logo entraria em férias.

QUARTA-FEIRA, 9 DE JULHO, 8H30
Três aviões de transporte C-54 são carregados com destroços. A ação é acompanhada por inspetores de Washington, que supervisionam o carregamento. As aeronaves então levantam vôo em direção à Base Aérea de Kirtland, onde se encontra o general Twinning.

QUARTA-FEIRA, 9 DE JULHO, 9H00
Walt Whitmore e seu repórter Jud Robert tentam ir ao Rancho Foster, mas não conseguem devido aos bloqueios dos militares. Curiosos de vários pontos do país — além de muitos repórteres — também tentam sem sucesso chegar ao local.

QUARTA-FEIRA, 9 DE JULHO, 10H00
Pousa na base um avião de Washington. À bordo, um representante oficial do presidente Truman. Em Washington, o presidente recebe o senador Carl Hatch, do Novo México.

QUARTA-FEIRA, 9 DE JULHO, 12H00
Os cadáveres dos ocupantes dos UFOs são preparados para a continuação do transporte. Oficiais da Base Aérea de Roswell visitam jornais e emissoras de rádio. O objetivo da visita era recolher cópias de um relatório para a imprensa do tenente Haut.

QUARTA-FEIRA, 9 DE JULHO, 14H30
Em uma reunião de oficiais, o Ministério da Defesa comunica ao FBI que os discos voadores não são de responsabilidade nem do Exército nem das forças armadas.

QUARTA-FEIRA, 9 DE JULHO, 18H00
Três policiais recebem os cadáveres dos ETs. Um deles diz: “Acabamos de fazer história”.

SEXTA-FEIRA, 11 DE JULHO
Tem início a operação Corretivo Mental em todos os soldados que trabalharam na operação de resgate. São conduzidos grupos a um pequeno recinto, onde um oficial lhes explica: “...isto foi uma questão de segurança nacional e está sob o mais severo sigilo. Não falem a ninguém sobre o que aconteceu. Esqueçam tudo o que viram”.

TERÇA-FEIRA, 15 DE JULHO
MacBrazel é advertido mais uma vez, mas pode finalmente retornar para o rancho. Embora antes da queda fosse muito pobre, retornou para sua terra com uma camionete nova e tinha dinheiro suficiente para comprar uma casa e uma fornecedora de gelo.

EPÍLOGO DA OPERAÇÃO
No prazo de um mês, todos os participantes da operação são transferidos para outra base. Em setembro, o professor Lincoln La Paz procura determinar a estrutura do objeto acidentado e afirma veementemente que os destroços são de uma sonda extraterrestre não tripulada. Em 24 de Setembro, o presidente Truman cria a ultra-secreta operação Majestic 12, com a finalidade de explorar o que acontecera em Roswell. Já no fim de outubro de 1947, o general Schulgen do Pentágono faz um memorando secreto, incumbindo às forças armadas a função de compilar todas as informações existentes sobre discos voadores. Essa é uma forte evidência de que o governo mentiu quando disse que o objeto acidentado era um balão meteorológico.

SETEMBRO DE 1949
Um parente de MacBrazel conta, num bar, que durante os dois últimos anos a família continuou encontrando vestígios da nave acidentada. No dia seguinte, foi procurado por militares, que trataram de confiscar as peças. Já em 1978, o ufólogo e físico nuclear Stanton Friedman localiza Jesse Marcel e o entrevista sobre o Caso Roswell. O silêncio finalmente estava rompido. Nos 16 anos seguintes foram editados 5 livros, baseados no depoimento de testemunhas do caso. A imprensa pôde também se manifestar, de forma que os jornais e emissoras de rádio e TV não pararam mais de explorar o assunto.

Para continuar lendo este artigo, você deve se cadastrar no Portal UFO. O cadastramento é gratuito e dá acesso a todo o conteúdo do site.

Login

Compartilhe esse artigo:

Sobre o Autor

Equipe UFO

Comentários

UPDATED CACHE