ARTIGO

A cronologia das operações do SETI

Por Equipe UFO | Edição 179 | 01 de Julho de 2011


Créditos:

A cronologia das operações do SETI

1959 Philip Morrison e Giuseppe Cocconi publicam na revista Nature o primeiro artigo moderno sobre o SETI, Searching for Interstellar Communication [Buscando Comunicação Interestelar], que sugere o uso potencial de ondas de rádio para comunicações com extraterrestres.

1960 O primeiro projeto do SETI, Ozma, é conduzido pelo doutor Frank Drake no Observatório Nacional de Radioastronomia de Green Bank, usando uma antena sintonizada na freqüência do hidrogênio, 1,42 MHz. O mundo se impressiona.

1961
Uma técnica ótica para o SETI, usando feixes contínuos de ondas de raios laser, é proposta por Robert Schwartz e Charles Townes. Logo será implementada.

1961
A primeira conferência sobre o SETI, intitulada Ordem do Delfim, é realizada no Observatório Nacional de Radioastronomia de Green Bank. Drake introduz o que hoje é conhecida como a Equação de Drake, um método estatístico controverso para a estimativa do número de civilizações tecnologicamente avançadas na Via Láctea.

1962 Seguindo estudos das estrelas Barnard, Peter Van de Kamp conclui que o movimento desses astros pode ser explicado pela presença de um ou mais planetas ao seu redor. Era a descoberta embrionária dos chamados exoplanetas, mas até hoje a questão não foi resolvida.

1966 Carl Sagan e Iosif Samuilovich Shklovsky escrevem a memorável obra Intelligent Life in the Universe [Vida Inteligente no Universo, Emerson-Adams Press].

1971 Uma operação da NASA, denominada de Projeto Cyclops, é convencida a criar um arranjo de não menos que 1.000 radiotelescópios para a detecção de sinais de rádio semelhantes aos gerados na Terra, mas a distâncias maiores do que 1.000 anos-luz. Falta de recursos evita a implantação da proposta na época.

1971 Carl Sagan, Frank Drake e Phil Morrison se encontram com cientistas russos na Conferência SETI Estados Unidos-URSS, em Byurakan, Armênia.

1972 A NASA publica a obra Project Cyclops: A Design Study of a System for Detecting Extraterrestrial Intelligent Life [Projeto Cyclops: Projeto de Sistema Para Detectar Vida Extraterrestre Inteligente]. O interesse pelo assunto se torna significativo e todas as 10.000 cópias impressas são rapidamente distribuídas.

1972 Placas contendo uma mensagem sobre o nosso planeta, destinadas para localidades além do Sistema Solar, são lançadas nas sondas espaciais Pioneer 10 e Pioneer 11.

1973 A Universidade de Ohio começa uma fase mais ampla do SETI em seu Observatório Big Ear, em Delaware.

1974 O Radiotelescópio de Arecibo é ampliado para maior capacidade e Frank Drake envia uma histórica transmissão de teste.

1977
O telescópio do Observatório Big Ear detecta o famoso sinal Wow!, um alerta de banda estreita proveniente da Constelação de Sagitário. Será o único resultado do SETI em toda a sua trajetória, e não foi confirmado.

1977 As sondas espaciais Voyager 1 e 2 são lançadas carregando discos de ouro contendo imagens e sons da Terra.

1978 A revista Cosmic Search é lançada pelo doutor John Kraus, tendo em sua edição inicial o influente artigo de Carl Sagan The Quest for Extraterrestrial Intelligence [A Questão da Inteligência Extraterrestre]. A publicação termina em 1981, após 13 edições.

1979
A Sociedade Planetária é fundada por Sagan, Bruce Murray e Louis Friedman.

1979 O projeto Serendip I, sigla em inglês para Busca por Sinais de Rádios de Populações Próximas Desenvolvidas [Search for Extraterrestrial Radio Signals from Nearby Developed Populations] é lançado no Observatório Hat Cree, da Universidade de Berkeley.

1981 A chamada Emenda Proxmire extingue o apoio do Congresso para a pesquisa SETI feita pela NASA. Muita frustração no meio.

1981
É realizada uma nova conferência internacional do SETI, em Tallinn, União Soviética. Por causa da Emenda Proxmire, evitou-se a presença de cientistas norte-americanos. A Sociedade Planetária despachou delegados ao encontro. Novas discussões se sucedem.

1981 A Sociedade Planetária começa forte campanha para a NASA conduzir pesquisas de sinais extraterrestres. Sagan, então presidente da entidade, persuadiu o senador Proxmire a parar a oposição que o congresso fazia à questão.

1982
A NASA começa pesquisas de vida extraterrestre inteligente com o Projeto de Pesquisa de Microondas de Alta Resolução [High Resolution Microwave Survey, HRMS].

1982 O doutor George Gatewood conduz pesquisa de planetas extrassolares, ou exoplanetas, no Observatório Allegheny, em Pittsburgh, Pensilvânia.

1983
A iniciativa de Paul Horowitz é testada no Radiotelescópio de Arecibo, em Porto Rico.

1983 A União Astronômica Internacional estabelece a Comissão 51, dedicada à bioastronomia e à pesquisa de vida extraterrestre.

1983
Samuel Gulkis e Thomas Kuiper começam pesquisa no Hemisfério Sul.

1983 Michael Papagiannis lança a revista Bioastronomy News, o informativo oficial da Comissão 51 da União Astronômica Internacional.

1983
Horowitz lança o Projeto Sentinela, com a ajuda da Sociedade Planetária, usando o telescópio de 26 m de diâmetro da Universidade de Harvard.

1984 O Instituto SETI é fundado como local para pesquisas de todos os aspectos da vida no universo. Inicialmente, suas atividades foram apoiadas pela NASA.

1985 O projeto META, sigla em inglês para Ensaio Extraterrestre de um Milhão de Canais [Million Channel Extraterrestrial Assay], começa suas operações no Observatório Oak Ridge, em Harvard. É financiado por Steven Spielberg.

1985 Robert Stephens começa a pesquisa canadense da vida extraterrestre a partir do Rádio Observatório de Hay River. Recebe apoio da Sociedade Planetária em 1987, mas é fechado em 1988 devido à falta de fundos.

1986 O projeto Serendip II, da Universidade de Berkeley, começa a varrer os céus.

1988 A Sociedade Planetária agora organiza um encontro internacional sobre o programa de busca por vida extraterrestre inteligente em Toronto, no Canadá.

1988 Robert Stephens estabelece o projeto TARGET, sigla em inglês para Antena Telescópica Pesquisando Transmissões Galácticas Extraterrestres [Telescope Antenna Researching Galactic Extraterrestrial Transmission]. O programa é inesperadamente interrompido em 1991.

1989 A Sociedade Planetária cancela a publicação do Bioastronomy News.

1990 O Observatório Columbus Optical SETI, desenvolvido pelo pioneiro Stuart A. Kingsley, torna-se a primeira instalação para a pesquisa ótica SETI na América do Norte.

1990 O projeto META II torna-se operacional perto de Buenos Aires, Argentina, com o apoio da Sociedade Planetária.

1992 A Universidade de Berkeley lança o Serendip III, um projeto ambicioso.

1992 Observações do projeto HRMS, da NASA, são lançadas no Observatório de Goldstone, em Barstow, no Deserto da Califórnia, e no Radiotelescópio de Arecibo.

1993 O doutor Kingsley organiza a primeira Conferência Optical SETI (OSETI), patrocinada pela Sociedade Internacional de Engenharia Ótica. O evento recebe convidados de várias partes do mundo e é bem sucedido.

1993 O orçamento para as pesquisas do projeto HRMS, da NASA, foi eliminado pelo Congresso norte-americano.

1994 A Liga SETI é fundada por Richard Factor, que indicou o doutor H. Paul Shuch como seu diretor executivo. A liga se torna o maior programa de observação do SETI privado.

1994 A revista SETI Quest é fundada por Carl Helmers e Larry Klaes. A publicação foi encerrada em 1998, após apenas 15 edições.

1995
A Liga SETI aceita pela primeira vez a entrada de membros amadores em seus quadros, que então cresceu para além de 1.100 pessoas em 56 países.

1995 O Instituto SETI lança o projeto Phoenix, uma continuação privada do projeto HRMS da NASA, usando o Radiotelescópio Parkes, em New South Wales, Austrália, o maior do Hemisfério Sul. Observações continuaram por seis meses e então foram interrompidas.

1995
O projeto BETA, sigla em inglês para Ensaio Extraterrestre de um Bilhão de Canais [Billion Channel Extraterrestrial Assay] começa a operar no radiotelescópio da Universidade de Harvard, em Massachussets.

1995 51 Pegasi B é o primeiro exoplaneta ou planeta extrassolar confirmado a orbitar um astro como o Sol, segundo é anunciado por Michel Mayor e Dedier Queloz. Em 1999, a lista de exoplanetas confirmados cresce para 20 — hoje passa de 1.600.

1996 A Liga SETI lança o projeto Argus, de varredura ampla do céu com 5 estações — agora são 82, o que significa mais telescópios radioamadores do que os que existem coletivamente no resto do mundo.

1996 A segunda edição de Project Cyclops é publicada conjuntamente pela Liga SETI e o Instituto SETI. Novamente é sucesso.

1996 A Sociedade Planetária lança o projeto Serendip IV na Universidade de Berkeley.

1996 Após ter sido fechada por um ano devido a upgrades em seus equipamentos, um projeto mais potente da linha META II refina as pesquisas do céu na Argentina.

1996 O projeto Phoenix, do Instituto SETI, amplia suas pesquisas do universo profundo no Observatório Nacional de Radioastronomia de Green Bank.

1997 Na Universidade de Berkeley o Observatório Leuschner começa a pesquisa intitulada SETI Ótica Pulsada, dirigida por Dan Werthimer.

1997 As fases do SETI conduzidas no Observatório Big Ear, da Universidade de Ohio, são listadas no livro dos recordes como “a maior pesquisa de vida extraterrestre inteligente da história”, justamente quando o mesmo foi demolido para dar lugar a um campo de golfe, levando ao fim do projeto.

1998 A SETI Ótica passa a ser aceita pelo corpo de pesquisadores do projeto SETI, formado principalmente por radioastrônomos que haviam questionado sua viabilidade como modo de pesquisa. O Instituto SETI e a Sociedade Planetária agora apoiam a pesquisa através de sinais de luz.

1998
O projeto Phoenix continua sua pesquisa do universo profundo no Observatório de Arecibo, em Porto Rico.

1998
O programa SETI Ótico, dirigido pelo doutor Paul Horowitz, torna-se operacional no Observatório Nacional de Oak Ridge.

1999 O [email protected], um novo programa de computadores que usa a potência ociosa de equipamentos caseiros, passa a mudar radicalmente as atividades SETI.

2011 Em abril, as antenas do Allen Telescope Array (ATA) são desligadas por falta de verbas. Elas operavam como um interferômetro de rádio voltado para a busca de inteligências extraterrestres no cosmos. Após um investimento de 25 milhões de dólares, foram congeladas, levando à idéia equivocada de que o SETI também fechara as portas. Como se sabe, no entanto, apenas parte de suas atividades sofreram paralisação.

Para continuar lendo este artigo, você deve se cadastrar no Portal UFO. O cadastramento é gratuito e dá acesso a todo o conteúdo do site.

Login

Compartilhe esse artigo:

Sobre o Autor

Equipe UFO

Comentários

UPDATED CACHE