CAPA

Afinal, o que eles querem da Terra e de seus habitantes?

Revista UFO | Edição 196 | 01 de Janeiro de 2013

SHARE

PONTO DE ENCONTRO

Onde os Leitores da UFO se Manifestam

I Ufoz 2012

Estou torcendo muito para que o IV Fórum Mundial de Ufologia — o I UFOZ 2012 — seja coroado de êxito. É bom saber que os grandes congressos sobre discos voadores estão de volta ao Brasil, e pelas mãos da Equipe UFO. Eu não esperava que fosse diferente, visto que a revista está por trás de quase tudo o que se faz de bom na Ufologia Brasileira.
Jonatas Meireles,
por e-mail

Meus parabéns à Revista UFO pela determinação em suas ações e, agora, pela coragem de promover o IV Fórum Mundial de Ufologia — o I UFOZ 2012. Tenho convicção de que o evento revelará ao planeta a força da nossa Ufologia. Queria muito estar presente, mas, infelizmente, não será possível. Quem sabe da próxima?
Mariluce Gomes Andrade,
Maringá (PR)

Resido na Espanha e tomei conhecimento do IV Fórum Mundial de Ufologia — o I UFOZ 2012 — pela internet. Não comparecerei, pois a crise em meu país não permite mais aos espanhóis que façam muitas das coisas que gostavam antes, como viajar, mas estarei aqui aguardando as novidades que os senhores puderem enviar. Muito boa sorte a todos.
Juan Castillo Franco,
Barcelona, Espanha

UFO 195

A ideia de que discos voadores sejam veículos construídos por avançados parentes de nossos antepassados não é nova. Durante várias fases do planeta Terra, desde o tempo dos sumérios, nós sabemos que outras espécies cósmicas têm visitado a Terra trazendo alta tecnologia — que, eventualmente, deixaram com nossos ancestrais por alguma razão.
Telmo Dias Nunes,
Canoas (RS)

Roberto Banchs

O psicólogo e professor universitário argentino Roberto Banchs mostrou ter um pensamento afiado quanto ao Fenômeno UFO em sua entrevista Refazendo a Investigação das Abduções Alienígenas Agora com Ótica Psíquica, da seção Diálogo Aberto de UFO 195. Acompanho seu trabalho há muitos anos, desde quando ele publicava artigos em UFO, e reconheço que ter uma ponta de ceticismo quanto a tudo o que se alega sobre os UFOs, como ele faz, é saudável.
Boris Souza Júnior,
Brasília (DF)

A entrevista com o psicólogo e ufólogo argentino Roberto Banchs, na seção Diálogo Aberto de UFO 195, está muito interessante. Concordo com o entrevistado quando afirma que a ciência não nega que os UFOs possam ser naves alienígenas, que viajem no tempo ou que venham de universos paralelos — ela tampouco afirma isso. Mas também penso, assim como Banchs, que quem defende essas possibilidades deve oferecer provas do que fala.
Célio Costa Marques,
por e-mail

Roberto Banchs foi muito feliz em sua entrevista Refazendo a Investigação das Abduções Alienígenas Agora com Ótica Psíquica, especialmente por demonstrar um ceticismo sadio e construtivo — que só ajuda no crescimento da Ufologia e é muito diferente do puro negacionismo que vemos em certos segmentos da Ufologia Brasileira.
Regina H. Fontenele,
Fortaleza (CE)

Colin Andrews

Esplêndida a entrevista com o circólogo inglês Colin Andrews na seção Diálogo Aberto de UFO 194, As Respostas Para a Presença Alienígena na Terra Estão nos Agroglifos. Ele mostrou conhecer profundamente o fenômeno e sua importância. Realmente, como ele afirma, esta é uma época de grande interação entre nosso planeta e outras inteligências cósmicas.
Ivo Luis Campos,
Maravilha (SC)

Os ufólogos brasileiros têm que acordar para a realidade ufológica imediatamente, e isso pode se dar com o advento dos agroglifos, que estão surgindo em nosso país para chamar nossa atenção. Por isso, achei muito oportuna a entrevista com o pesquisador Colin Andrews, em UFO 194, As Respostas Para a Presença Alienígena na Terra Estão nos
Agroglifos. Apenas não entendo porque do ceticismo quanto a um assunto tão sério...
Sueli Maria Nazário,
Belém (PA)

César Reyes de Roa

Muito boa a entrevista com o argentino César Reyes de Roa. É mais um ufólogo com os pés no chão que a Revista UFO apresenta aos seus leitores, como se viu na seção Diálogo Aberto da edição UFO 193, Extraterrestres Estiveram Aqui há Milênios e Conviveram com Nossos Antepassados. Gostei muito que ele teve a ética de se referir ao indigenista brasileiro João Américo Peret, que descobriu a lenda sobre Bep-Kororoti da tribo Kayapó. Respeito é isso, coisa rara no meio ufológico, onde tudo é pirateado.
Sandra Luzzena,
São Paulo (SP)

As últimas edições da Revista UFO estão de parabéns, principalmente a UFO 193, de outubro, que trata do misterioso desaparecimento do piloto australiano, no artigo do coeditor Thiago Luiz Ticchetti, Tragado Por um UFO. Contudo, não gostei da entrevista com César Reyes de Roa, pois o estudioso se mostrou um tanto cético, com postura reticente diante de uma das mais promissoras vertentes da Ufologia, a Ufoarqueologia. O assunto é rico e a Comunidade Ufológica Brasileira certamente gostará de revê-lo nas páginas da UFO.
Beto Schneider,
por e-mail

UFOs terrestres?

Interessante o artigo de José Augusto Fonseca, A Origem Terrestre dos UFOs, publicado na edição 195. A capa e a ilustração que abre a matéria são primorosas, assim como a pesquisa realizada pelo autor. Mas senti que faltou algo como uma “liga” no texto. Fonseca não provou que os UFOs são terrestres, apenas argumentou que teríamos tido, no passado, uma tecnologia que hoje já não existe mais — que, permitiria a construção de naves.
Raimundo Nonato Souza,
por e-mail

Estou com José Augusto Fonseca em seu artigo A Origem Terrestre dos UFOs, de UFO 195, quando diz que, “se pudéssemos reduzir nossa prepotência e orgulho científico, e se abrandássemos as nossas perspectivas em torno de teorias sobre o universo que julgamos avançadas, poderíamos compreender que ainda estamos no início de grandes conquistas no campo da ciência”. Muito bem dito!
Benê Marques,
por e-mail

Nossos agroglifos

Como não podia deixar de ser, chega o mês de outubro e com ele vêm os agroglifos de Santa Catarina, como bem exposto no texto Os Agroglifos Estão De Volta, Assim Como O Ceticismo Cego Sobre Eles, de A. J. Gevaerd, em UFO 195. Tenho acompanhado o fenômeno desde que passou a surgir no Brasil, em 2008, e vejo um cenário claro. De um lado, pesquisando com muito esforço e seriedade o tema, está a Equipe UFO, que não deixa de nos informar sobre os novos casos. E, do outro, estão ufólogos céticos, astrônomos e alguns integrantes do meio científico criticando o tema, mas sem fazer qualquer investigação a respeito. Poucas vezes na história da Ufologia Brasileira vi tamanha irresponsabilidade — especialmente de certos ufólogos, que deveriam investigar o
fenômeno e não criticá-lo a priori.
César Augusto Schnell,
Joinville (SC)

Acompanhei na imprensa não especializada as novas manifestações do astrônomo Adolfo Stotz Neto, presidente do Grupo de Estudos de Astronomia (GEA) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), especialmente no Diário Catarinense. É incrível que pela quinta vez consecutiva a mídia chame um astrônomo — não um agrônomo, o que seria o mínimo e óbvio — para falar dos agroglifos. Mas mais absurdo ainda é este senhor se dar o direito de criticar as figuras de seu próprio estado sem conhecê-las de verdade.
Elisa Normand,
por e-mail

O Brasil está perdendo uma grande oportunidade de conhecer melhor o fenômeno dos agroglifos de Santa Catarina, e por quê? Por ignorância e ceticismo de uns, arrogância e convencimento de outros e, pior de tudo, por preguiça de mais alguns. Sim, o fato de nenhum ufólogo brasileiro estar pesquisando o fenômeno, exceto alguns da Equipe UFO, é no mínimo um assombro. É como um UFO pousar no quintal de um pesquisador e ele fechar as portas e as janelas de casa, com medo de assumir uma posição.
Remetente Anônimo,
por e-mail

Leitores comentam

Tenho acompanhado algumas notícias sobre discos voadores, mais precisamente referentes a ETs. Escutando uma colega de trabalho tratar da certeza de que alienígenas estão entre nós, lembrei-me de outro conhecido que, na época de ginásio, dizia fazer contato com eles. Hoje, lendo alguma coisa sobre o general Alfredo Moacyr Uchôa, me despertou a curiosidade em saber se tudo isso é mesmo verdade.
Ofenísia Alves Dantas,
por e-mail

Não devemos abandonar o que é importante e construtivo. O Sistema de Investigação de Objetos Aéreos Não Identificados (SIOANI), criado em 1969 pela Força Aérea Brasileira (FAB), visava coletar o maior número possível de relatos — de civis e militares — de UFOs vistos no céu. Seus integrantes ouviam a população, jovens e adultos, e estimulavam o estudo dos fatos que ocorriam. Mesmo tendo sido encerrado em 1972, fico feliz em saber que vozes militares estão surgindo para que novas estratégias sejam construídas no mesmo rumo.
Elver Teixeira,
por e-mail

Sou geólogo e estou a trabalho no Deserto do Atacama, no Chile. Ao analisar imagens de satélite, encontrei várias marcas estranhas aqui e dezenas de crateras de meteoritos de tamanhos que variavam de 1 a 5 m. A mais incrível que descobri foi a que parece ser uma marca de decolagem de um UFO. É espantoso.
Lisandro Nunes,
por e-mail

Gostaria muito que Allen Epling, citado no texto Astrônomo Filma UFO Cilíndrico em Kentucky, da seção Casuística Ufológica de UFO 195, tivesse calculado o comprimento dos UFOs que têm o formato de charuto que ele viu e filmou. Creio que alguns tenham mais de um quilômetro de extensão — o que é comum para esse tipo de nave. Mas o que me interessa mesmo é o desenvolvimento espiritual objetivo de nossos visitantes, pois isso é que vai de fato nos aproximar deles.
Clésio Berri,
Londrina (PR)

Estou escrevendo um livro com minhas experiências ufológicas em Florianópolis. Trato dos nativos indígenas, arte rupestre, caminhos sagrados e guardiões de pedra, além de monumentos megalíticos. Penso também em abordar os agroglifos que surgiram em Santa Catarina, um estado que fascina pela riqueza de seus pontos energéticos. Acredito que abrir a mente dos seres humanos é o primeiro passo para qualquer tipo de compreensão extrassensorial — e só a partir dela poderemos ser entendidos. As pessoas precisam se preparar para o conhecimento.
Vanessa Vidal de Castro,
por e-mail

Leitores criticam

Gostaria de fazer duas críticas à Revista UFO, que acredito serem construtivas. Primeiro, a publicação precisa de novas imagens para ilustrar as matérias, pois em quatro edições fotografias repetidas foram usadas. E, segundo, vocês deveriam lançar DVDs com assuntos e relatos de casos ufológicos brasileiros, pois os lá de fora já foram muito explorados em documentários antigos. Espero estar contribuindo para a revista ficar ainda melhor.
Henrique Santos,
por e-mail

Linguagem dos ETs

Seria interessante que os grupos de debates e pesquisas sobre UFOs fossem reunidos em todo o Brasil, pois existem vários deles dispersos, como aqui no Pará. Também reparei que jamais foi realizado um estudo linguístico relacionando os métodos de contatos com alienígenas, e assim não se sabe que língua eles falam. Neste ponto, seria importante a estruturação de grupos específicos, como o de estudos linguísticos, por exemplo, para tentar decifrar este provável idioma em seus vários aspectos — fonético, fonológico, morfossintático etc. Seria algo pioneiro
na pesquisa ufológica.
Walber Pereira,
Castanhal (PA)

Terraço de Baalbeck

Achei muito interessante a menção ao Terraço de Baalbek, no texto A Origem Terrestre dos UFOs, de José Augusto Fonseca. Uma estrutura colossal feita em pedra lavrada, constituída de blocos tão grandes que não podem ser movidos de seu lugar. Como poderia ter sido construída, se não por seres extraterrestres?
Maria Inês Garcia,
Contagem (MG)

UFO Especial

Sugiro que a revista UFO Especial veicule edições com o tema UFOs reais filmados e fotografados, contendo as fotos dos casos considerados autênticos.
Marina Andrade,
por e-mail

Tenho acompanhado a UFO Especial desde que voltou a circular — não perco um só número. Entre as edições recentes, gostei muito da série Afinal, Qual é a Intenção dos ETs? (edições 67 e 68), porque trata do que interessa, ou seja, o que trazem os ETs à Terra.
Raul Albuquerque Ros,
São Paulo

A série UFO Especial se supera a cada dia, com edições repletas de informações valiosas e atuais. Os três números dedicados aos casos excepcionais de contatos com ETs (edições 64, 65 e 66) estavam sensacionais. Por meio deles pude saber de muitos episódios ufológicos de que antes não tinha conhecimento, porque não são tratados em lugar algum. Parabéns!
Judith Amoroso Sobrinho,
por e-mail

Novos DVDs da Videoteca UFO

Comprei assim que foi lançado o novo pacote de DVDs da coleção Videoteca UFO, com os títulos O Enigma das Pirâmides [DVD-056], Aliens: Evidências Secretas [DVD-057] e Abduções: Desvendando a Mente Alienígena [DVD-058]. Sempre adquiri todos os lançamentos de vocês e assisto com meus filhos, meus amigos e até meus pais. Mas estes novos lançamentos se superaram em vários sentidos. Gostei muito de todos eles, sobretudo de O Enigma das Pirâmides, pois mostra fatos que nunca imaginei, mesmo sendo estudante dedicado de egiptologia.
Teodomiro Gomes Filho,
Atibaia (SP)

Os documentários ufológicos da Revista UFO são as melhores fontes de informações que todos temos sobre discos voadores e sua ação em nosso planeta. Sou consumidor de tudo o que exista sobre este tipo de informação, mas há tempos concluí que a melhor literatura e os melhores programas em DVDs são os da UFO. Agora, quando adquiri os últimos lançamentos, gostei muito, em especial, de Abduções: Desvendando a Mente Alienígena [DVD-058], que realmente penetra fundo na questão dos sequestros por ETs — a verdadeira ponta do iceberg ufológico.
Timo Navastaceli,
por e-mail


Grande Ofertas Exclusivas da Revista UFO