ARTIGO

Volta o debate sobre mistérios na Lua

Por Arjun Walia | Edição 256 | 01 de Março de 2018

O que há na Lua? Por que as missões Apollo foram abandonadas? Teorias sobre as descobertas feitas pelas missões espaciais norte-americanas em nosso satélite são muitas e, mesmo com todo o filtro empregado para se ocultar imagens reveladoras, algumas acaba
Créditos: LUCA OLEASTRI

A corrida espacial, símbolo tecnológico da Guerra Fria e da luta por poder bélico, trouxe para o mundo um grande desenvolvimento em termos de novas soluções, novos materiais e, claro, novas tecnologias que foram aplicadas para melhorar e facilitar a vida cotidiana. E em 1969, quando os norte-americanos finalmente pisaram na Lua, a humanidade parecia ter vencido a barreira final e conquistado o cosmos.

A euforia dessa conquista, entretanto, parece ter diminuído com o tempo e, de repente, as missões Apollo foram canceladas e todo o programa espacial pareceu entrar em estado de quase suspensão — enviamos sondas para Marte, Vênus, Saturno, Júpiter, mas a Lua, tão mais perto, parece ter sido esquecida ou colocada de lado. A pergunta óbvia é por que isso aconteceu.

Pouco tempo após o pouso lunar, teorias começaram a aparecer dizendo que ao chegarem ao satélite os astronautas encontraram construções e naves extraterrestres e que por isso as missões foram canceladas. Mas eram os anos 70 e as fontes de informação e o acesso a elas eram difíceis e lentos. Portanto, as notícias sobre o que realmente foi descoberto na Lua acabaram caindo na categoria das teorias conspiratórias.

Filmes de dados sumiram

Em 1976, George Leonard, cientista e analista fotográfico da Agência Espacial Norte-Americana (NASA) que obteve várias imagens oficiais da Lua — muitas das quais ele publicou em seu livro Somebody Else is on The Moon [Mais Alguém está na Lua. Create Space Independent, 1976] —, fez algumas afirmações chocantes sobre nosso satélite. Apesar do pequeno tamanho das fotografias e de sua baixa resolução, elas mostravam detalhes formidáveis das imagens originais. Mas, mesmo publicando o número das fotografias atribuído pela NASA, não se podia dizer com toda a certeza se elas eram autênticas ou não. Porém, muito mais contundentes do que as imagens foram as alegações do cientista sobre o que foi achado na Lua. E Leonard não foi o único personagem com currículo sólido a tentar dizer ao mundo a verdade em relação ao satélite natural e às fotografias feitas pelas missões Apollo.

Bob Dean, major aposentado do Comando do Exército dos Estados Unidos que serviu durante algum tempo como analista de Inteligência no Quartel General Supremo das Forças Aliadas da Europa, órgão da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN), também fez alegações poderosas durante uma conferência na Europa. Na ocasião, Dean disse que o governo dos Estados Unidos e a NASA deliberadamente apagaram 40 rolos de filmes do programa Apollo que continham imagens dos voos à Lua, dos voos ao redor da Terra, de aterrissagens no satélite e caminhadas dos astronautas.

“Nós estamos falando de alguns milhares de quadros individuais de imagens que foram retirados pelas autoridades, que determinaram que não temos o direito de vê-los. Eles eram impressionantes e esta atitude é inaceitável social e politicamente”, declarou Dean na ocasião. Aqui é importante dizer que o governo russo recentemente pediu uma investigação internacional sobre os pousos norte-americanos na Lua, em consequência do desaparecimento do filme original de 1969, que mostrava a sequência da primeira aterrissagem lunar dos americanos. Eles também se referem aos aproximadamente 400 kg de rochas que foram trazidas pelas múltiplas missões dos Estados Unidos realizadas entre 1969 e 1972.

TODO O CONTEÚDO DESTA EDIÇÃO ESTARÁ DISPONÍVEL NO SITE 60 DIAS APÓS A MESMA SER RECOLHIDA DAS BANCAS.

Para continuar lendo este artigo, você deve se cadastrar no Portal UFO. O cadastramento é gratuito e dá acesso a todo o conteúdo do site.

Login

Sobre o Autor

Arjun Walia

Comentários