ARTIGO

UFO fotografado em deserto norte-americano?

Por Philip Mantle | Edição 254 | 01 de Janeiro de 2018


Créditos: KEITH BRADSHAW

O Fenômeno UFO, por ser furtivo e difícil de ser registrado de forma clara, acabou se tornando terreno fértil para enganos, más interpretações e fraudes. Não foram poucos os pesquisadores que se viram envolvidos com evidências controversas ao longo desses 70 anos da Era Moderna dos Discos Voadores. Porém, se por um lado a busca por evidências verdadeiras continua, os erros cometidos nos ensinaram muito e ajudaram o estudo a se desenvolver.

O tempo passou e a tecnologia evoluiu vertiginosamente. Hoje temos muito mais pessoas gabaritadas para analisar fotografias e vídeos do que dispunham os pesquisadores de 40 ou 50 atrás. Porém, se aumentou o número de especialistas, o de fraudadores triplicou em relação a eles. Com o advento da internet e a infinidade de recursos disponíveis atualmente, muitas vezes se torna praticamente impossível apontar-se uma fraude — e em muitos casos, descobre-se a falsificação por outros caminhos que não exatamente a análise das imagens.

Infelizmente, em Ufologia, na maioria das vezes, quando as coisas parecem ser boas demais para ser verdade, é porque são uma fraude. Entretanto, sempre há exceções e são elas que fazem com que tantas pessoas ao redor do planeta se dediquem a estudar e a tentar desvendar o significado do Fenômeno UFO. Neste artigo falaremos sobre o recente e controverso caso de algumas fotos publicadas em uma rede social e conheceremos a verdade por trás destas imagens.

Um UFO no deserto

Em outubro de 2017 surgiu uma postagem curiosa na página no Facebook do programa de rádio Midnight in the Desert [Meia-Noite no Deserto], do comunicador Art Bell. A postagem mostrava, em uma foto tirada em plena luz do dia, um UFO e um helicóptero pairando sobre o solo do deserto. O texto que acompanhava a imagem dizia: “Venho mantendo esta foto comigo já há 10 anos e está na hora de mostrá-la para outras pessoas. Eu fiz esta fotografia em julho de 2007, no Deserto de Mojave e sempre quis mostrá-la para alguém. Então, aqui vai ela”. O local fica no sudoeste dos Estados Unidos.

Curioso sobre a imagem, este pesquisador deixou uma mensagem privada para o autor da postagem, a quem chamaremos de Keith Bradshaw, pedindo maiores detalhes. No dia seguinte, vimos que a fotografia havia sido removida da página, mas que o autor respondera à mensagem que enviáramos. Logo de saída, Bradshaw deixou claro que estava muito preocupado por ter mostrado a foto, uma vez que a obtivera de maneira ilegal, invadindo um campo de testes da Marinha Norte-Americana — ele alegou que se arrependera de tê-la postado no Facebook. Porém, revelou que a foto fora tirada no campo de testes da Base Naval de China Lake, no estado da Califórnia, às 11h30.

Nos dias que se seguiram trocamos várias mensagens privadas por meio da rede social e ele eventualmente contou a história por trás da fotografia. Bradshaw também nos enviou mais cinco fotos. Eis seu relato: “Eu cresci em Ridgecrest, no Deserto da Califórnia, onde há uma base da Marinha. Quando era criança, era muito fácil entrar na base e todo mundo na cidade tinha passes que nos permitiam atravessar os portões para chegarmos à escola, às piscinas, ao cinema etc. Todo mundo conhecia alguém que estava trabalhando ou havia trabalhado na base, então todos sabiam onde ficavam as coisas lá dentro, o que funcionava em cada prédio”.

TODO O CONTEÚDO DESTA EDIÇÃO ESTARÁ DISPONÍVEL NO SITE 60 DIAS APÓS A MESMA SER RECOLHIDA DAS BANCAS.

Para continuar lendo este artigo, você deve se cadastrar no Portal UFO. O cadastramento é gratuito e dá acesso a todo o conteúdo do site.

Login

Sobre o Autor

Philip Mantle

O autor é considerado, junto com Paul Stonehill, os maiores especialistas em Ufologia Russa da atualidade. É inglês residente em West Yorkshire, sempre se interessou por assuntos paracientíficos, tendo abraçado a Ufologia ainda quando adolescente. Seu interesse pela presença alienígena na Terra teve início no fim da década de 70, quando entrou para a Yorkshire UFO Society. Ele organizou congressos e dirigiu investigações, o que lhe permitiu conhecer a fundo o Fenômeno UFO e realizar trabalhos de grande profundidade sobre observações de discos voadores e contatos com extraterrestres em várias regiões da Europa. É dele também Without Consent, em co-autoria com o também britânico Carl Nagaitis, e Beyond Roswell, com o alemão Michael Hesemann. Consultor da Revista UFO desde 2000, Philip Mantle também é autor de Alien Autopsy Inquest, em que trata da fraude perpetrada por Ray Santilli e seus associados, na década de 90.

Comentários